Domingo, 04 de Novembro, 2007

Pois é! È exactamente o que me sinto, um ribeirinho sem vontade de secar.

Acabei de ler os tres volumes de poesia do poeta Ruy Belo e como ele transbordava as margens, meu Deus!

Partiu e eu deixo-lhe aqui a minha homenagem

 

 

Amanhã quando eu partir

 

 

 

 

 

Amanhã, quando eu partir

Sósinha, seguirei meu caminho

e nele vou descobrir

esse fim de vida que já adivinho!

Limpo as lágrimas com a mão

Tudo me diz que não vou voltar!

E há um bater louco no coração.

Mas que caminho incerto!? E sem puder parar!...

Há muito venho vida fora

Que fazer, se é esta a minha estrada?!

Neste caminho não há risos, nem ninguém chora!

Só eu sigo, com a alma angustiada!

Amanhã, quando eu partir

não vou nem sequer dizer adeus!

o frio da madrugada vou sentir

e levarei comigo, saudades dos meus.

Neste caminho vou só com a solidão!

Já oiço à distância gemidos

mas tristezas, eu não quero não!

A Morte, são só meus passos perdidos!.

publicado por rosafogo às 17:18

mais sobre mim
Novembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

7
8
9
10

11
15
17

24

25
28
29
30


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro