Quinta-feira, 25 de Setembro, 2008

Gostava de poder sorrir, ao  ver que meus netos  estão crescendo, sentir que têm hipótese no futuro, que  irão ser felizes, como eu gostava de poder sorrir....

 Vê-los fazer o que gostam,  conseguir as suas aspirações. É certo que estão cheios de sonhos e eu quero acreditar!

 

 

Estas palavras

 

 Estas palavras que surgem do nada

Que eu tenho vontade de afugentar

São semente em mim entranhada

Caída na terra deste meu sonhar!

 

Umas são de luto, outras de festa!

Roídas de desejo no seu despertar

São pálidas defesas, tudo o que resta

Deste estranho hóspede que se atreve a pulsar!

 

Estas palavras, são  o fruto da nostalgia

da Vida, dos anos, do frio das horas!

São instantes livres, entre a tristeza e a alegria!

 

Por vezes esquivas, saídas de escombros

Vestígios de luz da mortiça memória

Enraizadas na alma, um peso nos ombros!

 

 

 

 

 

publicado por rosafogo às 21:04

mais sobre mim
Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
26
27

28
29
30


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro