Sábado, 08 de Novembro, 2008

 

Um tanto alheia ao que se passa,no Mundo, porque infelizmente, nada posso fazer, vou deixando seguir o meu curso e cumprindo o que me pede o coração, nesta tarde fria tento encontrar uma razão para viver, escrevendo mais um poema, que aqui deixo.

 

 

Cogitações

 

Se existo?

Meus braços são agora galhos nús!

Minhas mãos, folhas encarquilhadas!

Meus sonhos, migalhas negras, são a cruz!

Povoam de solidões minhas horas pesadas!

 

Se insisto?

Meus passos tropegos são hesitantes!

Soltam -se-me suspiros do coração!

São as palavras meus únicos amantes!

E os amanhãs, não sei se virão ou não!?

 

Se conquisto?

A reboque, neste fim de caminho?!

Onde tristemente, como uma criança me perco?!

Não! Trago meus pensamentos num desalinho!

E vivo de poesia, dela me cerco!.

 

 

 

publicado por rosafogo às 17:56

mais sobre mim
Novembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
5
6
7

11
12
13
14
15

16
17
18
19
22

23
25
28

30


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro