Sexta-feira, 21 de Novembro, 2008

Quando era criança, parecia que o Mundo nascia dia após dia ùnicamente para mim.

Gostava de ouvir a chuva a cair, enquanto lia o jornal, sentada  pertinho da janela. De manhã

eram os pássaros que cantavam bem cedinho na  margem do rio e as flores  ... essas tal

como eu íam abrindo de mansinho procurando o nosso Sol.A saudade cresce quando lembro os verdes anos.

 

Este rosto

 

 O meu rosto?! É o meu rosto sim!

  Embora, meu rosto já sem vida!

  Rosto tão triste, como noite sem fim!

  Onde rola uma lágrima esquecida.

 

  Meus olhos?! Meus olhos sim!

  Sem verde, já tão sem cor!

  Eram esperança, são ausencia de mim

  Agora pétreos já tão sem fulgor.

 

  Meus lábios?!São meus lábios sim!

  São sombra, agora nevoeiros!

  Foram ansia, eram carmim!

  São lívida neblina de tantos Janeiros.

 

 

 

publicado por rosafogo às 20:06

mais sobre mim
Novembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
5
6
7

11
12
13
14
15

16
17
18
19
22

23
25
28

30


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro