Terça-feira, 30 de Dezembro, 2008

Há palavras que nos sôam sublimes, tal como uma  melodia que se ouve e que vem ao encontro de todos os nossos sentidos.

 

Parto de mim sem querer saber

 

Abro-te os meus braços sem hesitação

Tomada pelo desejo de te amar!

Faz-me o Amor estremecer o coração

E fica uma centelha de luz no meu olhar!

 

Rompe-se o silêncio, escuto o som do Amor

Entro no prazer dos tempos esquecidos

Obstinada procuro no sonho o calor

De quem se liberta e tem os sentidos vivos!

 

O prazer é forte, deixo-me perder

Abro-te os meus braços sem hesitação!

Parto de mim, sem querer saber!?

Se regresso, ou fico pisando o teu chão.

 

 

 

 

 

 

publicado por rosafogo às 20:08

mais sobre mim
Dezembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
5

8
10
12
13

14
15
16
17
19
20

21
22
24
25
26

28
31


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro