Domingo, 08 de Fevereiro, 2009

É bom recordar os cantinhos da minha aldeia, os dias de sol e os dias de chuva. Sentir ainda o gosto de meter os pés nas poças de água ou mergulhar na água fria do rio, o fascínio de subir ás àrvores para bisbilhotar os ninhos, atravessar o rio pelo açude.....

Ainda conservo na memória todos os becos e vielas estreitinhas, ainda vejo meus companheiros e seus rostos alegres, alguns sujos de comer a fruta directamente da arvore

outros descalços, pés no chão  até no inverno, a única coisa boa  a brincadeira saudável que

nos ocupava o tempo.

   E ainda hoje a aldeia me presenteia com a sua beleza, com lugares idílicos, onde tive uma vivência profunda.

 

A minha aldeia

 

A minha aldeia

Tem só três ruas!

Todas  as outras são ruelas

Quantos sóis, quantas luas?!

Quantos amores despertaram nelas.

 

Quantos pares de namorados

Quantas palavras e compromissos

Quantos braços bem abraçados

Aguardando a noite e seus feitiços

 

A minha aldeia

Tem só três ruas!

Todas as outras são ruelas

Nos meus sonhos,minhas mãos nas tuas

E nas ruas, procissões e velas.

 

Agora conto o tempo e a idade

Com emoção singela lembro os dias

Mergulho meus sonhos na saudade

E vivo agrilhoada de nostalgias.

 

 

publicado por rosafogo às 22:18

mais sobre mim
Fevereiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
4
6
7

11

15
21

24
26


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro