Terça-feira, 17 de Março, 2009

 

Venho singelamente responder ao desafio proposto pela amiga do blog poetaporkedeusker

cujo desafio é postar uma poesia sobre Confiança.Só agora o faço por ter estado ausente, mas pela estima que lhe tenho aqui lhe deixo a minha modesta participação, com os agradecimentos  pela amizade.

Decerto que a confiança é muito problemática, nem sempre se pode confiar, mas eu sou

demasiado confiante, penso sempre que não me farão a mim o que não seria nunca capaz de fazer, que é trair, mentir ou pisar alguém em proveito próprio, e segredo que é segredo

morre em mim.

 

Confiança

 

Ter esperança é confiar na Vida

Confiança é semente em chão arado

Sem esperança a vida anda um pouco perdida

Confiar é ter alguém do nosso lado.

 

Confiar é partilhar sentimentos

É ter uma ancora de esperança e amizade

Repartir os bons e os maus momentos

Soltar os pensamentos, confiá-los em liberdade

Confiança é a abertura do nosso Eu

Na esperança de se ser ouvido sem medos

Jamais  traído , se  nossa amizade se deu

A quem confiámos nossa vida e segredos.

 

Confiar é ter um porto de abrigo

É descarregar um fardo, poder contar

Com aquele que julgamos nosso amigo

Que nos ouve, e que nos pode ajudar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por rosafogo às 23:59

Obrigada pela tua resposta ao desafio poético.
Já tive outro desfio igual, do Fisga e um outro do Manu e confesso que começo a achar imensa graça a esta cadeia de desafios. No início não gostava... fazia-o por delicadeza e consideração para com os desafiantes, mas agora já acho divertidíssimo. Pena é que eles acabem por ser repetitivos e, dentre os blogs que habitualmente visitam os nossos, acabamos por escolher mais ou menos os mesmos... mas também acho que é uma coisa parecida com um abraço que se dá com vontade. É um cumprimento, um gesto virtual que acaba por se explicar por si mesmo, entendes? Não sei dizer, exactamente, por que razão me apetece enviar um abraço no final de um comentário... apetece-me e pronto! A virtualidade só se pode explicar nesse contexto. No virtual. Porque existe e porque, no meu caso, me faz despertar esta vontade de partilhar abraços...
Abraço grande!
PS- Gosto de blogs pessoais. Tenho alguma pena de não ter mais tempo para os visitar, mas gosto deles.
poetaporkedeusker a 18 de Março de 2009 às 00:40

Tantas palavras que hoje me dedicaste, estou feliz por isso.
Sabes fico sempre um pouco confusa com estas provas, embora no meu jeito simples, goste de participar.
Estou como tu, também me apetece sempre dar um abraço mesmo não conhecendo pessoalmente, chego a pensar
que a amizade é mais perfeita até, daí a necessidade de se responder aos comentários e estar atenta ás palavras
que nos dirigem. Eu sou nova nestas andanças e são poucas as amizades, mas para mim são queridas, podes crer
e estão sempre empenhadas em me acarinhar, tu és uma delas, obrigado por isso, aqui vai também um carinhoso abraço.

Tenhas uma noite descansada
rosafogo a 18 de Março de 2009 às 01:01

Confiar é partilhar a vida (…) confiar é partilhar os sentimentos (…) confiar é ter um porto de abrigo (…) , três ideias chave que desenvolveu, para responder a um desafio que a esperava. Mesmo acabada de chegar e cansada da viagem,
resultou um poema muito bonito o que atesta a sua veia repentista. Parabéns.
Beijinho e até sempre.
Maria de Jesus a 18 de Março de 2009 às 01:05

Sempre atenta e carinhosa, será que mereço?!
Achou bonito?
Não contava ter este desafio á minha espera, mas participar foi bom, foi mesmo um desafio.
Sabe Maria de Jesus, vou confiar-lhe um segredo: sou muito insegura, nunca gosto muito daquilo que faço
mas também não mudo uma palavra, como sai, sai natural e fico por aí mesmo.
Mas escrevem todos tão bem que eu já tenho receio de me tornar maçadora com este meu jeito de não saber estar quieta.
Obrigada pelo seu carinho
Um beijinho
rosafogo a 18 de Março de 2009 às 01:23

Voltei para lhe dizer que na minha opinião, cada pessoa tem o seu jeito próprio de escrever, ditado pela sua interioridade. Quanto a ser melhor ou pior, onde está a medida padrão? Nos génios e nos consagrados? Mesmo esses divergem conforme a sua personalidade, vivências e regras de escrita da sua época. Depende mais do gosto de quem lê, de se sentir mais ou menos identificado com esta ou aquela escrita.
Quanto à insegurança, eu também a tenho. Acho natural pois sabemos que é difícil ser imparcial com os nossos “filhos” e temos consciência de que corremos o risco ver neles as qualidades que gostaríamos que tivessem ou os defeitos que tememos que tenham sem que percebamos… Qual a solução? Também não sei! Se calhar a segurança vai chegando aos poucos, ajudada pelas opiniões exteriores.
Beijinhos


Maria de Jesus a 20 de Março de 2009 às 16:42

Natália

É um gosto ler-te, desafiada ou não, as tuas palavras saem como pétalas dos teus dedos!

"...se nossa amizade se deu"
feitiço talvez de criança
mesmo que em bruma, ela apareceu...!
ternamente nasceu...confiança!

Beijo com carinho
Utopia das Palavras a 18 de Março de 2009 às 16:27

Boa amiga

Como as tuas palavras me fazem bem, não te agradeci ontem porque trouxe comigo de Itália a «Influenza» que me levou á cama, todo o dia, mas como tu dizes e bem, eu sou uma miúda grande e também forte por isso aqui estou já para te
dizer da minha felicidade quando- tu Grande Poetiza- me visitas com tanto carinho.

Um beijinho grande, do tamanho do Sol
rosafogo a 19 de Março de 2009 às 23:11

Confiar é achar que sabemos voar, é acreditar que podemos tocar o céu, é acreditar em mim, em ti! E acredito porque não me sinto só e não tenho medo de me ouvir e de parar, para voltar atrás, ou continuar em frente ou simplesmente para mudar de trajectória!

Rita Torrão
teladosentir a 18 de Março de 2009 às 20:51

Estive doentita, não se nota? Ainda nem fui visitá-la. Mas não tardo, porque hoje já estou quase fina.
Belas e fortes as palavras que me deixou, venha sempre, necessito delas.

Obrigado, um grande beijinho
rosafogo a 19 de Março de 2009 às 23:15


mais sobre mim
Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
18
21

23
25
26
28

29
30


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro