Domingo, 22 de Março, 2009

 

Hoje , não tinha destinado postar o que quer que fosse, mas como o serão é longo, sempre  resolvi fazê-lo,  também  porque a minha necessidade de escrever um pouco... é (muita).

Ás vezes é bom andar sem destino, caminhar um bocadinho só com as nossas lembranças

a puxar pela memória, sinto-me bem quando a isso me disponho.Ficam os pensamentos leves, não ligo ao que as pernas ás vezes reclamam e volto a sentir-me mais jovem.

Assim não consigo refrear este impulso e vou voltar lá atrás no tempo.

 

É bom sonhar

 

Deixo rolar uma lágrima sobre o papel

Manchando o sonho que descrevia

Lágrima gotejando sobre a minha pele

Sonho que deixei para tráz um dia!

 

Hoje ao abrigo dos meus sentimentos

Escrevo levemente numa folha de rosa

Deixo minha mão ser levada p'los ventos

E escrevo sobre a minha meninice gostosa.

 

Esqueço o tempo. Dele perco a noção!

Fico lá, alegre, brincando ás escondidas

E vou saltar á corda ligeira, com emoção

E na mão, tenho as malhas preferidas.

 

Agora, brinco de mãos dadas na roda

Soquetes brancos, coração explodindo

Livre como pássaro, nada me incomóda

Quero ficar, deixem-me, estou pedindo.

 

 

Ficar neste tempo, ameno, transparente

Sonhar, poder de pés descalços  andar

Que felicidade a deste dez reis de gente!

Princesa, só com a aldeia p'ra morar.

 

 

 

 

 

 

 

sinto-me: O Sol
publicado por rosafogo às 21:03

Olá rosafogo!

Diz o adágio que recordar é viver
neste bordão também eu acredito
e é sempre bom ficarmos a saber
que na memória o passado é escrito

Abraço grande.
manu a 22 de Março de 2009 às 22:25

Vou vivendo, vou sonhando
Vivendo do que faço e desfaço
Nos meus dias vou lembrando

Lembro sempre aquele abraço
Dos meus amigos virtuais
Das amistosas visitas a este espaço

Não me interessam os demais
vou vivendo p'ra poesia
Convivendo com alegria
Com os que me são iguais

Uma boa semana e um abraço amigo
rosafogo a 22 de Março de 2009 às 23:45

Natália

A necessidade de escrever um pouco...(muito) é a tua liberdade de viver o teu presente nas serenas lembranças de felicidade que um dia foi... e se olhares para dentro...ainda é!

E os berlindes a saltar?
nas toscas risadas do chão
Oh como é livre meu sonhar
Sentir meu o sol, sonhar com o coração!

Beijo
Uma semana cheia de inspiração!
Utopia das Palavras a 22 de Março de 2009 às 23:07

Olá Ausenda

Que bom,é como se te ouvisse mesmo não conhecendo a tua voz!
Quando se rememora
Fica-se de coração aberto
Então, a felicidade mora
Quando os amigos estão por perto...

Um beijinho grande
Boa semana, com tudo bom para ti
rosafogo a 22 de Março de 2009 às 23:52

E que linda que ficas assim, feita dez reis de gente pequenina, descalça, correndo os prados!
Abraço muito grande, Princesinha!
poetaporkedeusker a 23 de Março de 2009 às 15:05

Pensa como pensam os sábios, mas fala como falam as pessoas simples - Frase de Aristóteles
É assim contigo, eu entendo sempre as tuas palavras que sendo simples são sábias.

Obrigado pela visita
Amiga para ti um beijinho grande

rosafogo a 23 de Março de 2009 às 20:10

Um beijinho grande também para ti! :)

A Natália, mesmo quando escreve “saudade” é leve… genuína… pura…
Quase a vejo criança, nessas brincadeiras que também foram as minhas.
Senti este poema como um banho de frescura, uma lufada e ar fresco e perfumado. Gostei muito!
Beijinhos
Maria de Jesus a 23 de Março de 2009 às 22:09

É vedade, Mª de Jesus

Sente concerteza o mesmo, saudade do nada ter, mas ao mesmo tempo ter tudo.
Viver sem pressas, sem ansiedades, ter amigos tão iguais sem nada para partilhar senão os momentos da brincadeira.
Sem invejas e á partida com um destino semelhante, como irmãos, de tal forma que ainda hoje o reencontro é sempre uma alegria.

Um beijinho
Grata , pelas suas palavras, sinto que por ter passado pela infância nas mesmas ou parecidas condições, me compreende melhor.
rosafogo a 23 de Março de 2009 às 23:29

Saltando de blog em blog, delink em link, vim aqui parar, gostei do que vi e li e.....desculpe a minha ousadia:


„Sonhando um pouco“



Adormeço e sonho um pouco com tudo
Vejo cáras normais que me olham sem piedade
Invento um amor..... porque a vida só tem coisas feias
Chovem palavras e eu brinco com elas para sorrir
Os dias passam e eu alimento-me só de paciençia
Amo as cores....porque não têm forma
Mesmo não sendo normal os meus problemas são os de um homem qualquer
A infância escorre-me nas lembranças e toca mesmo no fundo de mim
Invento-te mais doce que o vento
Sem pensar nas consequências estendo as mãos ao meu amanhã
E se me vir no amanhã.....encontro sempre algo para fazer
Apago a luz e penso naquela gravata que não têm a ver com nada do que sinto
Esboço um sorriso para ser igual
E todas as soluções que encontro para a vida
Têm todas um nome...o TEU....





Felicidades
*FreeStyle* a 24 de Março de 2009 às 06:01

Olá FreeStyle

Que prazer em tê-lo por cá, ainda bem que é ousado, na Vida precisamos de ousadia.
Também eu vou ousando escrever com palavras simples a minha singela poesia.
Ainda bem que gostou, também irei com mais calma visitá-lo, por agora já sei que nasceu no meu século ou seja um século atrás.
Um abraço e tudo bom para si também, volte sempre que lhe dê prazer.

Adorei o poema que me deixou, no meu caso nem preciso de adormecer, basta fechar os olhos para sonhar
e a Vida ficar mais fácil.


rosafogo a 24 de Março de 2009 às 14:10

O sonho comanda a vida!
Bonito poema, felicidades
MBeirão a 24 de Março de 2009 às 16:15

Hoje tive mais visitas do que as esperadas, mas quero dizer que estou feliz, é sempre benvindo quem vem por bem.
Obrigado p'lo seu comentário e pelo momentos que passou neste espaço. Ainda bem que lhe agradou.Volte sempre,
creio que temos algumas coisas em comum, vou precisar de algum tempo para apreciar o seu espaço.

Tudo bom para si também
rosafogo a 24 de Março de 2009 às 18:21


mais sobre mim
Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
18
21

23
25
26
28

29
30


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro