Sábado, 23 de Maio, 2009

 

A minha POESIA é tão preciosa para mim como a amizade e o carinho dos amigos que vêm

espreitar este meu recanto de paz. E eu fico grata a Deus por me dar esta possibilidade de

lidar com a poesia e também de despertar nos amigos a sua curiosidade, pois não sendo as palavras de estímulo e ânimo que eles que me entendem ,me deixam, ficaria só comigo ,talvez arrumada numa gaveta.Assim por outro lado, a comunicação saudável que há entre nós, que temos os mesmos gostos, as mesmas ansiedades,que  umas vezes estamos tristes outras alegres, faz-nos sentir que não estamos sózinhos nesta caminhada que é a Vida.

E já que a Vida de pobre é escura, aqui trago mais uma poesia, que espero deixe algum raiozito de luz.

 

 

Escrevo com a alma

 

 

A Poesia me dá paz!

Toca-me o coração.

Só a poesia é capaz

De me tornar nascente, de água serena!

Só a Poesia me acalma!

Nela mato a sede e procuro a razão

Pego na pena!?

Mas escrevo com a alma.

 

Solidão de mãos estendidas

Que se unem, ainda que desiludidas

A Vida é um jogo

Com um ponto de partida

E eu me interrogo?!

Até quando vai esta Vida.

 

A juventude é fornalha arrefecida

Como foi triste perdê-la!

Se voltasse ao ponto de partida?!

Mais atenta estaria ao vivê-la.

Canto e a minha tristeza fica maior

Já a lonjura me leva p'la mão

Mas a Poesia me dá o calor

Toca-me o coração!

 

Fica o meu riso em suspenso

Tenho rugas resignadas de amargor

Nestas remoídas horas eu penso?!

Como é por ela grande o meu Amor.

Duros, são estes tempos do nada

Quando o coração, bate insatisfeito

Mas a Vida não está acabada!

Vivê-la, não há outro jeito.

 

Tenho a poesia sempre  por  perto

Pequenina de ambição, maior na fortuna

E a Vida já não me parece um deserto

E a tristeza, já me parece inoportuna.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

sinto-me: Ausente
publicado por rosafogo às 15:42

È linda a introdução.
O poema está escrito com muita sensibilidade e emoção que se nota nas palavras algo nostálgicas.
Porém, a vida não volta atrás, vivamos o presente com a alegria, aproveitando os ensinamentos que a vida nos foi dando ao longo da caminhada.
Gostei muito deste teu poema e recebe cumprimentos meus,
Carlos Alberto Borges
umbreveolhar a 23 de Maio de 2009 às 23:16

Deixou-me feliz a tua passagem e as tuas palavras amigas.
É como dizes, o passado não volta, há que continuar, mas... se é a nossa história?! Como não recordá-la?!
Bom ou mau, sempre estará na lembrança.

Bom domingo para ti
Abraço
rosafogo a 23 de Maio de 2009 às 23:39

Olá Amiga Natália. Tenho pena que estivesses tão nostálgica, ao escreveres esta linda poesia, narrando o tempo que já passou. Pois para o tempo passar é indispensável que os anos também passem, gostava de saber que te sentes muito feliz, por já teres chegado a onde chegaste. Contam-se por muitos biliões, os que não chegaram onde nós já chegamos. A vida é isto mesmo, e agora o melhor que podemos tirar dela é: É viver cada dia com vista, a que pode ser o ultimo, melhor, viver cada dia o melhor e mais intensamente possível, quem sabe se haverá um amanhã. Eu mesmo assim adicionei aos meus favoritos, porque é lindo de mais para ficar num só local na Net. Um beijinho E tudo de bom. E viva a vida que é tão bela. Eduardo Gonçalves.

Fisga a 24 de Maio de 2009 às 10:46

Olá Amigo Eduardo, cheguei agora fui tomar um café, para animar o dia.
Pois é meu amigo, a Vida voa, e quem não aproveitar, chega a um ponto em que já pouco pode fazer.Mas é como dizes Eduardo foi bom termos chegado aqui, e com saúde sempre vamos querer estar um pouco mais, porque é lindo ver o nascer ou o pôr do sol,e outras coisas mais, como por exemplo ter amigos, que nos deixam palavras de animo para continuarmos . Fiquei contente que tivésses gostado da poesia, olha o nosso passado teremos sempre que lembrar e eu até fui feliz na minha aldeia por isso sempre esta tentação de falar do mesmo. Mas aguarda, que vêm mais a seguir.
Vou seguir o teu conselho e viver o melhor que possa, sabes que eu gosto muito de viajar, então de vez em quando lá vou dar mais uma voltinha.
Obrigado por me adicionares, tudo bom para ti também e bom domingo

Um beijinho da amiga Natalia


Olá Amiga Natália. Sabes amiga Porque eu gosto de dar conselho aos amigos que vivam a vida. Porque eu hoje me arrependo de muitas coisas que podia ter feito e não fiz hoje tenho pena mas é tarde e o relógio não volta a trás. Eu também tive quem me avisasse, e não liguei, mas agora torço e não deita nada. É isso que me move a incentivar as pessoas amigas a não deixar nada apara amanhã porque pode ser tarde. Vai amiga Viaja, diverte-te e goza a vida, porque o amanhã ninguém sabe se chegará para nós. Beijinho Amiga Natália. E resto de bom Domingo. Eduardo Gonçalves.
Fisga a 24 de Maio de 2009 às 16:29

Tens razão em tudo o que dizes, há que aproveitar o tempo, o meu pouco mais é que o teu, e como sabes não quer dizer nada esta história da idade. Por isso também tu ainda estás a tempo, se Deus quiser ainda tens muito á tua frente. Vamos passando algum dele aqui a conversar e atrocar impressões uns com os outros. Somos um bom grupinho de amigos e isso vai-nos dando alguma alegria.
Amigo Eduardo, inicia bem a semana, com boa disposição
Um beijinho
Natalia

Olá Amiga Natália. Olha minha Amiga Natália. Eu sou mais mau para mim próprio do que para as pessoas amigas aqui do blog. Não me estou a chorar, e nem tenho pena de ser assim, antes pelo contrário, gosto bastante de ser amigo com letra grande. O que não me agrada é eu ser mau para mim próprio, mas tal como no contrário, eu não tenho culpa de ser assim. Todas as medalhas têm duas faces, a minha é, por um lado sou amigo dos meus amigos, e pelo outro sou inimigo de mim mesmo. Paciência. Não tem outra forma. Por ser assim é que só dou os conselhos que eu gostaria de ter tomado quando também mos deram a mim. Um beijinho deste amigo Eduardo Gonçalves.
Fisga a 25 de Maio de 2009 às 12:49

A nossa vida é poesia, lágrimas, sorrisos, beijos, perdas, vitórias são poesias que valem a pena serem vividas e escritas em papel sedoso com o timbrado dos nossos dias!

Um beijinho enorma da Rita
teladosentir a 24 de Maio de 2009 às 16:10

Olá Ritinha

Tudo bem com a menina?
Obrigada por ter passado
E ter lido a minha sina
Em branco papel timbrado.

Um beijinho grande também, com muita amizade
Natalia
rosafogo a 24 de Maio de 2009 às 22:22


Escreves com a alma em papel de qualidade
E enterneces corações que divagam
Sem saberem onde se encontra
O porto seguro, onde vão ancorar.

O tempo passa como se fosse medido
e não é medido, é vivido,
numa espécie de viver...

Se voltasse a outro tempo
Fazia os mesmos disparates,
Dizia as mesmas loucuras,
Nada mudava
O meu destino...

Sei que seria igual,
bom ou mau,
oportunidades perdidas
tempo mal vivido

E neste instante
Eu posso dizer
Transformava tudo
Como por encanto,

Mas não seria verdade
Eu estaria a mentir.

Nostálgico e belo o teu poema!


Mª. Luísa
M.Luísa Adães a 25 de Maio de 2009 às 11:17

Quem puderá olhar indiferente
Para um passado que foi seu?!
Falhei porventura, mas contente
Sigo, sabendo que muito se perdeu!

Ás vezes sinto-me uma pedra dura
Com um coração que não crê
De repente, fico ternura
E a alegria em mim se vê

No despertar dum novo dia
Renasce em mim, no meu destino?!
Alguma coisa nova que se perdia...
E agora repica em mim como um sino.

E só pode ser, porque encontrei aqui uma amiga como tu
Obrigada Maria Luísa
Beijinho


Rosafogo

Deixas-me sem palavras; perdi as palavras enquanto te li
e sem palavras deixo de ser eu,
apenas um simulacro de mim
FICA - extático, tentando responder,
mas não pode...
faltam as palavras
que perdi
quando te li.

Obrigada,

Maria luísa

Ás vezes não são necessárias as palavras e se elas ficaram embargadas na tua garganta, é porque tu és sensível
ao que lês. Porque eu sei que és uma Poetiza , uma fonte inesgotável de belas palavras, (que não se esgotam e são sempre ditas duma maneira que nos deleita).
Obrigado amiga
Um beijinho de gratidão

rosafogo

É sempre salutar ler-te, encontrar-te nessa leitura e te responder, da forma que tu sabes sentir.

Se eu escrevo e tu gostas...tens a sensibilidade à "flor da pele" e depressa captas o que digo.

Para a semana, ou final desta semana, vou escrever "Tenho de Partir" e é uma partida real, com
regresso, se Deus assim, o permitir.

E na volta encontro os amigos, como tu (mas são todos tão diferentes) e respondo com alegria a todos.

Ainda espero responder, até final da próxima semana.

O poema é real
e é uma despedida original...

Beijos da amiga,

Maria Luísa

Irei com todo o gosto ler o teu poema e deixar o que sobre ele achar.
As despedidas são sempre tristes, mas o tempo voa, e logo, logo estarás de novo entre nós, para nossa alegria.
Até logo Maria Luísa

Beijinho
Natalia

Natalia

gostei da tua previsão da volta rápida; eu vou só e a viagem é longa , 9h30 avião - São Paulo.

Mas ainda vou deixar um poema!

Beijos para ti,

Mª. Luísa

É como te disse Maria Luísa, vais partir, e é sempre bom viajar,mas a saudade não é fácil. Mas tu és corajosa, quando chegares vai-te parecer mentira, como o tempo voou.Mas nós, e digo nós os que te ficamos a aguardar, nós sim vamos sentir a espera, porque nos habituáste ao mimo das tuas palavras. Impressiona-me como tu tens sempre de volta uma outra palavra ás vezes com a qual já não esperamos.
Desejo tudo de bom para ti, que tragas toda a inspiração, para nos deliciares com momentos de leitura de boa poesia como atá agora o tens feito.
Boa viagem amiga, volta logo
Beijinho




Never say goodbye! Never!

Então até logo e ainda vamos conversar milhentas coisas de encanto ou desencanto.
Quem sabe? Depende de nós, do sentir, do tempo - do nosso tempo de euforia ou sentimento
mais profundo.
Mas quem escreve poesia é imprevisível, no seu dissertar e temos de desculpar!

Beijos,

Mª. Luísa

Mais um poema, onde com grande sensibilidade a Natália põe um pouco da sua alma e onde se diz escudar bebendo paz e serenidade, quando transportada aos sentimentos nostálgicos pelo passado. Mas dentro de si existe uma fonte, que lhe dá forças e que traz à tona a Natália alegre e bem disposta que eu também conheço!

Jogando o jogo da vida,
há que ganhar e perder.
Só existe uma saída,
Continuar… e viver!
Incontestável verdade:
É bom se o tempo passou,
mesmo deixando saudade
no desgaste que o marcou.
Há que agarrar o presente,
com toda a força do querer!
Ir serenamente em frente
Na paz dum entardecer.

Beijinhos
Maria de Jesus a 25 de Maio de 2009 às 15:45

Mais um poema, Mª de Jesus, triste, de vez em quando procuro seguir outro rumo, mas acabo vindo sempre parar aqui
ao meu Mundo nostálgico, mas tenho em mim ainda muita força de viver.

Sou como o gelo eterno
Sou sombra, ou me fico em água!?
Ás vezes sou Primavera, outras Inverno
Esbanjo alegria, ou choro de mágoa.
E neste entardecer
Onde o Sol alto já vai
Nesta ansia de viver
Ás vezes, uma lágrima que cai.

Obrigado pela sua passagem, que é sempre muito importante para mim, dão-me muito estímulo as suas palavras.
Um beijinho grande







rosafogo a 25 de Maio de 2009 às 17:26

Natália

É efectivamente um canto de paz, assim o sinto. Mas também me invande um grande sentimento de ternura quando aqui te leio devagarinho...o ambiente me incita a isso!

E se a tua POESIA é tudo para ti, então...

Com um poema
mata a tua saudade
Com ele
Faz crescer a liberdade
Com um poema
pinta a vida de cor
Com ele
Salta as margem de um rio
Do vento sente a sua dor
Com um poema
Afaga um qualquer rosto
E com ele
Saberás sempre
o que é sentir amor!

Beijinhosssssssss
Utopia das Palavras a 25 de Maio de 2009 às 15:55

A minha música é linda, não é querida amiga?
Torna o cantinho mais doce e confortável a quem o visita e tu que me deixas sempre um carinho especial, provávelmeste
o achas ainda mais lindo. Obrigada és um amor!

Farei sempre um poema
De carinho alimentada
De Liberdade será o tema
E da tua ternura, mimada.
E ele será saudado em coro
Ribombará de alegria
Porque a Liberdade é ouro
E ela será meu guia.

Tudo bom para ti, boa semana e obrigado mais uma vez por te dispores sempre a alegrar o meu dia.
Beijinho grande



Ausenda
Desculpa o erro queria dizer (provávelmente), mas estas coisas em directo acontecem.
Beijinho
rosafogo a 25 de Maio de 2009 às 17:59

Amigo Free
Agora parece-me que apaguei de mais, peço imensa desculpa, se te quiseres dar ao trabalho, deixas aqui um comentário mesmo que pequenino, pois fiquei desolada.
De qulaquer modo, foi mais uma coisa que eu aprendi, obrigado por isso.

Um abraço
rosafogo a 26 de Maio de 2009 às 17:10

Tranquilizi-se Rosa....

Os comentarios estavam em corrente,ou seja...tds eram respostas ao primeiro, logo ao apagar o primeiro apaga tb as respostas, não se preocupe, IoI acontece.



Bêjuuuuuuuuu

Free
Obrigado pela tua atenção e mais uma vez o meu agradecimento, pela lição.
É sempre a aprender, hoje uma coisinha amanhã outra e cá vamos anadndo.

Beijo
rosafogo a 26 de Maio de 2009 às 20:55


mais sobre mim
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

2

4
5
7
8
9

10
11
13
14
15
16

17
18
19
21
22

24
25
27
29
30

31


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro