Domingo, 04 de Novembro, 2007

Com as gaivotas no peitoril do terraço do hotel, o cheiro a mar, o nascer do sol,tudo isto convidava a tomar o pequeno almoço um pouco fora da realidade.

Assim rompia um novo dia e eu envolvida no ambiente duma cidade mística, quase vestia a pele dum outro personagem.

 

Viajar é bom, faz bem à alma

 

 

O Outono da Vida

 

 

Este corpo que é trigo e joio

Que deu frutos na Primavera

Já da vida não sente o apoio

Já só a noite espera!

 

 

Não se cansa a imaginação

Neste corpo que já não quer ouvir

Onde já foi Primavera e Verão

É Inverno e só frio se faz sentir!.

 

 

Cansado, nada o detém no caminho

A voz não deixa de protestar

E como um tear de linho

Velhinho! Até ao fim vai versejar!

 

 

 

Quando já nada acontecer

Na terra da solidão vai ficar

Mas este corpo ainda vai tecer

Um poema! Que ficará por lapidar!.

publicado por rosafogo às 17:30

mais sobre mim
Novembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

7
8
9
10

11
15
17

24

25
28
29
30


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro