Quarta-feira, 01 de Julho, 2009

Esta foto foi retirada da net, retrata Gil Vicente,

às portas do castelo da minha cidade.

 

Ultimamamente, tenho lido mais poesia do que era hábito e cheguei à  conclusão que toda ela é diferente na beleza  da escrita, mas que toda é bela. Uma mais suave, outra mais profunda, uma mais serena, outra mais acesa, cada poeta tem a sua «marca», mas o sentimento , o Amor por ela é igual em todos.

 

 Hoje

 

As horas hoje estão lentas e suaves, belas para mim.

A aldeia, de silêncio, transborda.Anoitece!

Atravesso desertos, surge um oásis por fim.

Na minha imaginação, sonhar ainda acontece!

Às vezes as lembranças, são já só rasuras.

E a tristeza se apodera do meu coração.

Porquê, tal desnorte?! Ou serão só minhas loucuras?!

E as palavras me saem, como beijos em excitação.

 

Olho a Lua distante, o silêncio é maior, sinto-me só!

Tenho necessidade de ouvir o vento...

Parece a Vida um ermo, chego de mim a ter dó

Então ergo uma força, maior que meu pensamento.

 

Em mil estilhaços , a Vida, parece partida

E surge de novo a investida da solidão.

O passado, o presente, ficam na memória esquecida.

E de chama quase extinta, vou perdendo o meu chão!

 

E as estrelas me dizem, coragem mulher, ainda é cedo!?

Foge à solidão, esquece a fuga dos dias

Porque hoje, amanhã, a vida te vence e no medo!?

Vencida estarás  só ... de mãos vazias.

Neste silêncio  que é da noite e meu,a lua se afastou

Cada segundo é diferente do anterior.

Oiço o vento  cujo sussurro,  quase me embebedou.

E me fez esquecer, da vida um mal maior.

 

Neste papel branco, deixo meus recados

Que são pequenas deixas, um quase nada!

Alguns sentimentos, que trago  ao peito aconchegados.

E desabafos  duma história, p'ra sempre  inacabada.

 

 

 

 

 

 

 

publicado por rosafogo às 19:14


Olá Natália,

Muitas vezes escrevemos sobre a solidão, o silêncio, o passado...Nem sempre tudo isto é mau, desde que saibamos recordar as coisas boas de cada situação...Na solidão, os momentos recordados de risos de crianças, no Silêncio, a contemplação do que é belo, O Passado, momentos felizes que vivemos...A vida é o que nós queremos que seja....

Beijinhos
Alex
inoutyou a 1 de Julho de 2009 às 21:30

Olá amigo Alex

Com a idade a avançar, recordamos mais o que já fica distante. Recordo quando tinha trinta quarenta anos, a vida era tão agitada que não se passava nada para além da rotina do quotidiano e a velhice era mesmo coisa de gente velha,
assim, passaram os meses os anos e agora que a vida nos deu bom e mau, vamos recordando, para viver. Mas eu me sinto ainda uma jovem ás vezes um pouquito... nostálgica!

Vou-lhe deixar um pedacinho duma poesia do poeta Casimiro Costa, pois eu também sou uma sonhadora.

Eu semore fui um sonhador
Escrevo versos com amor,
Porque um dia descobri
Que ninguém é igual,
Mas vive sempre mais mal
O que vive só para si.

E rem razão, desabafando se alivia a mente.

Um beijinho
Natália


Olá Natália,

A vida é assim mesmo. Queremos crescer rápido...e depois parar no tempo...não é possível, mas podemos sempre desabafar...

Beijinhos
Alex

Olha meu amigo

Irei sempre desabafando com os amigos que tiverem a paciência de me ler.

Vou deixar-te com um pouco de Torga, que tanto gosto

Guardo os instantes, frutos varejados
(A vida é ums colheita a recolher);
Abro o velho panal dos meus cuidados,
E encho a tulha do tempo até caber.

Um abraço
Natália
rosafogo a 2 de Julho de 2009 às 22:15

Que lindo poema, que suavidade encontro nas palavras, da minha amiga.
Continue a dar-me o prazer, de passar por aqui.
Gosto muito
Um abraço e até amanhã.
CASIMIRO COSTA
casimirocosta a 1 de Julho de 2009 às 21:33

Olá amigo Casimiro

Já li o seu livro, ás vezes, deixou-me com um nózito na garganta.
É bonito, como já lhe disse, mas repito gostei muito de o ler, mais uma vez o meu agradecimento.
Mencionei o Livro SUSPIROS e o nome Casimiro Costa, num dos anteriores posts, tal como outros que entretanto me foram oferecidos, mas irei sempre lembrando, quando se proporcione em futuras postagens.

Obrigado também pelas palavras de amizade aqui deixadas

Um abraço
Natalia
rosafogo a 2 de Julho de 2009 às 00:04

Olá Natália!
Começo por felicitá-la pelo resultado obtido no concurso “aldeias da minha vida”. Foi um desafio que valeu a pena. É como diz no seu poema: (…) “o silêncio é maior, sinto-me só! (…) Então ergo uma força, maior que meu pensamento.” E armada dessa força vai à luta e avança! Mais uma vez o valor do que faz sobressaiu! Parabéns. Fiquei muito contente.
Também me disse há dias, que numa antologia vão sair dois poemas seus. Mais uma boa notícia! A Natália tem talento e generosidade, merece as alegrias trazidas pelo reconhecimento do seu trabalho .
Beijinhos com amizade
Maria de Jesus a 1 de Julho de 2009 às 22:44

Olá Maria de Jesus

Desejo muito que esteja bem, eu cá estou, preocupada com os mais novos, é sempre aquela inquietação.
Obrigada pela felicitação, fiquei muito contente, principalmente pela aldeia, que como outras é tão esquecida, até por quem tem obrigações para com ela, o caso dos decidem do seu destino e que segundo leio no jornal que recebo não se portam lá muito bem, leio sempre as mesmas queixas. No fundo muitas promessas, mas cumpri-las é que é o delas...

Agora vou deixar-lhe como resposta uma poesia de Miguel Torga que é o meu preferido

Digo que não
Ao medo
Que me apavora;
E juro ao coração
Que virá cedo
A calma que demora.

O nevoeiro pousa, mas levanta.
E por baixo da manta
de tristeza
Que redonda certeza
Num paraíso
Que foi criado porque foi preciso!

Não podem ser em vão estes versos meus
Constantes como flores na primavera
Por alguma razão amadurece
O fruto que apetece...

E animo a confiança;
Há milagres...
Sempre a imaginação
Imaginou
Sempre nasceram deuses nos desertos
E um galo cantou
Quando alguém os negou....


Acho que tem a ver comigo, ora me apavoro, ora animo e bem no fundo há sempre uma vontade de ir mais além, mesmo ficando sem saber se faço bem ou mal , então fico a sofrer até ver o resultado final.
A colectânea, sai agora no princípio do mês, também enviei os poemas a medo, mas é como diz o poeta «há milagres...»

Um beijinho com amizade, com os desejos de que fique bem
Natalia


rosafogo a 2 de Julho de 2009 às 00:32

Natália......é verdade o que eu acabei de ler....mas que felicidade!!!!
Os teus poemas vão ser editados?????
Ai....onde.....quando...quero saber tudo????
ehehehehe opá estou tão contente, saber que tu, uma mulher que admiro muitissimo vai finalmente ser reconhecida!!!!
É mesmo uma alegria muito grande......e sabes que mais...TU MERECES!
Mil beijocas com muitooooo carinho.
anna
tangerina a 2 de Julho de 2009 às 15:42

Querida Anna

Apenas dois poemas meus, na II Colectânea de Poesia Contemporânea, do Portal de Lisboa que vai ser este mês editada.Foi mais uma aventura, mas recebi a notícia que eles iriam fazer parte da dita colectânea e fiquei muito contente.
- Como tu me pões sempre um sorriso no rosto!
Mas minha querida, por agora terás mesmo de lê-los por aqui, e eu vou gostar muito de te sentir, de falar um pouco contigo.
Mas, se fôr o caso, algum dia, se proporcionar, juntá-los num pequeno livro, serás a primeira a saber, dado que ficáste tão contente.

Meu barco segue sereno...avanço!
As marés estão calmas e azuis
De te falar, nunca me canso
Tal é o encanto que possuis!
Tuas palavras são farrapos de luar
E o meu Sonho, se tranfigura
Ensino-te um pouco do meu sonhar
E ponho nele toda a minha ternura.

E tudo pode acontecer
Os poemas que são meus
Quais, estrelas no céu ao escurecer
Serão também teus
E o eco dos meus ais,te fará companhia
Sonhos e esperanças, te darão alegria.

Um beijinho com muito carinho, fica bem na companhia dos que te são queridos.
Natalia






Nem que fosse somente um poema querida amiga a minha alegria seria a mesma...espero que seja o inicio de um novo ciclo...porque os teus poemas não deixam ninguém indiferente, são emoção, são vida, são alma e essência!!!
E fico há espera do livro...
beijo grande e bom fim de semana
anna
tangerina a 3 de Julho de 2009 às 16:44

Como és doce nas palavras, quase começo a acreditar que vale a pena expôr aqui o que tinha guardado só para mim, tal é a força que me dás!
Obrigada Anna, bom fim de semna também pata ti.

Um abraço de muita amizade
natalia
rosafogo a 3 de Julho de 2009 às 17:51

Natália! Todos nós, mesmo não sendo poetas temos palavras que sai, umas vezes do fundo da alma e dos sentidos, outras vezes na escuridão da noite, a olhar para o mar, colocar o olhar no nascer do sol, tudo isto é poesia, simples de um olhar ou de um sentimento. Gostei de ler o poema, que tem tanto do que aqui escrevi?
Beijinho terno Lisa
maripossa a 2 de Julho de 2009 às 16:56

Amiga Lisa

Toda a tua escrita é poesia, eu quase adivinho que tu és um ser sonhador, gostas do nascer do sol, de olhar o mar, tudo
isto são coisas mágicas onde o poeta se inspira. Tens bonitos sentimentos,brotam de ti palavras belas, gosto muito de te ter por aqui, saber que te dá prazer, ler poesia embora esta seja nostálgica. Obrigado pelas palavras, sempre que quiseres podes falar um pouquinho comigo, tenho imenso prazer.

As minhas palavras são como gavinhas
Que entrelaço nas tuas com amizade
Levam-nas junto de ti andorinhas
E dizem-te da minha saudade.

Beijinho com ternura
natalia
rosafogo a 2 de Julho de 2009 às 23:53

Olá Natália,

Grande novidade!
Vais ter poesia publiada em livro... E pode-se saber quais são os poemas ou só quando o livro sair?

Olha fiquei encantado por saber e acho que estás a ficar mais "adulta" na escrita. Mas fica um reparo: procura ser mais disciplinada na pontuação.
Aceitas o reparo?
Fica um beijo. E nada de ficar "velha"! Olha que isso envelhece...

Teu amigo torrejano,
Paulo César
Paulo César a 2 de Julho de 2009 às 22:53

Olá Amigo Torrejano

Estou a ficar deveras preocupada! Nem sei se tenho muita coragem para continuar, é que isto agora é a doer, como se costuma dizer. Tanta gente a escrever tão bem, com coisas tão belas, como queres meu amigo que eu aguente, escrevendo eu tão simples?! Se eu fosse ao menos metade dum PAULO CESAR que eu conheço, e que estremeço ao ler?!
Olha amigo, tudo isto é apenas um prazer, um gosto muito grande p'la leitura, devoro livros, também escrever me dá prazer, mas é só isto que tu vês. Claro que eu gosto do que faço é criação minha, sinto-os muito meus e me orgulho, mas...
Agora para te responder: acredita que eu concorri com dois poemas á II Colectânea de Poesia Contemporânea do Portal de Lisboa e esqueci, vai ser uma surpresa, porque eu com o concurso da aldeiadaminhavida, esqueci o resto, e sei que vão sair, porque me telefonaram dizendo que tinham sido aceites e que claro teria que adiantar o pagamento de 10 livros.
Pagamento efectuado, estou á espera, porque seria editada agora nas duas primeiras semanas deste mês.
Mas os poemas, quais serão? Nem eu mesma sei! Eu vou confessar-te uma coisa terrível, sou muito agitada, destemida, corajosa até, mas logo, logo fico
receosa, cheia de ansiedade que ás vezes não controlo lá muito bem.

Obrigado pelo teu conselho, sobre a pontuação, tenho alguma dificuldade sim, não sei muito bem como mellhorar e leio tanto, já deveria ter aprendido mais qualquer coisa, vou tentar, diz sempre que achares mal, por favor.

Obrigado pelo teu carinho
Um beijinho, fica bem.

Já que hoje me deu tanta vontade de falar com todos os amigos, peço-te desculpa por tanta conversa.
Outra coisa que há tanto , ando para te falar e me tem esquecido, sabes também mando quase todas as semanas um
poema para o Almonda, que as lapeiras, adoram, andam sempre atrás do jornal, no dia em que este sai.
Mais uma aventura, vês bem!!!



Olá,

Sabes que também estive para enviar poesia para a colectânea do Portal de Lisboa? Não enviei por "preguiça" e também porque as regras impunham limites de tamanho e acho que a poesia que eu gostava de publicar ultrapassva esses limites. Enfim... não enviei!
Mas vou querer ter um livro teu autografado!
Quanto ao Almonda, também eu já lá publiquei dois ou três textos, há muitos anos atrás. Era eu ainda um puto. Mas agora que falas nisso acho que vou voltar à carga! Tenho que me esclarecer contigo: que preciso fazer? Acho que devo começar por ser assinante, não?
Obrigado pelos teus comentários no meu blog e continua. Quanto a ser o Maior... Camões, Fernando Pessoa... esses sim!
Beijo
Paulo César

Olá querido Amigo

Bom dia!
É com pena que leio que não publicaste na colectãnea, assim os meus ficariam bem mais valorizados e eu sentir-me ía uma
escritora a sério.Quanto ao Almonda eu já escrevo há cerca de dois anos, mas nem todas as semanas claro e sou assinante.Existe uma coluna do jornal, que dá a conhecer um poeta de quando em quando, trazendo curriculum do mesmo, e com franqueza nunca vi nada neles igual ao que tu escreves, digo-te isto sem favor algum, eu sou pouco letrada, mas sou muito sensível e apercebo-me perfeitamente da qualidade.
Os meus lá vêm, ao lado de quem para lá manda umas quadras, que ás vezes nem rimam, é como eu digo no poema
«ás vezes até de mim tenho dó».
Fico, muito feliz que voltes, mas na coluna, onde mereces, mais que nenhum.

Camões, Pessoa, são imorredoiros...como Victor, será tenho a certeza. Já houve uim Victor Hugo não poeta penso, só escritor,agora serás tu o Maior e não tens que agradecer, na minha idade já só se diz o que se sente.

beijinho
bom fim se semana
natalia


rosafogo a 3 de Julho de 2009 às 12:57

Gosto bastante de poesia. às vezes a poesia acha-me e lê-me outras eu prouro-a e sinto-a. Adoro Sophia de Mello breyner por exemplo e descobri há recentes anos Pessoa de quem jurava n gostar.

Beijinhos Natália.
KI a 3 de Julho de 2009 às 02:29

Olá KI

Ainda bem que tenho mais uma amiga a gostar de Poesia.
Os Poetas que mencionas eu também adoro ler e já li bastante dos dois, diferentes no tempo mas ambos muito bons.
Mas temos hoje poetas também muito bons, uns de quem lemos um pedacinho, quando nos deslocamos á livraria, ou á biblioteca e aqueles que numa hora mágica por aqui mesmo, damos com eles.Refiro-me por exemplo ao PAULO CESAR,
á UTOPIA DAS PALAVRAS, convido-te a que os visites e ver´´as como tenho razão. Hoje só te falo nestes, mas há mais.

E agora deixo-te com M. Torga

Faço o que posso, e posso combater.
Um verso resiste é um bom soldado.
Quando a noite é maior, o céu deixa-se ver
À pequenina luz dum pirilampo alado.

Beijinho grande
natalia
rosafogo a 3 de Julho de 2009 às 14:21

Agora que volto a dar uma passagem pelos comentários, mais atentamente, achei lindo a forma como dizes ,«uma acha-me e lê-me, e outra procuro-a e sinto-a» quanta sensibilidade aqui contida!!!

Beijinho
rosafogo a 3 de Julho de 2009 às 17:44

Vejo que também participas na segunda colectânea da Chiado-Editora... qual também?! Eu não participo! Estou cada vez mais afogada em dívidas e não posso cumprir aquela cláusula da aquisição de exemplares... cheguei a enviar um soneto, mas tive de escrever um email a explicar a situação.
Não estejas tão insegura, amiga! Tudo vai correr bem, vais ver!
Abraço grande!
poetaporkedeusker a 3 de Julho de 2009 às 10:55

Amiga Mª João

Olha amiga, isncrevi-me com dois poemas, e nem li regulamento, porque me recordo de não ter conseguido a página.
Um outro dia qual não foi o meu espanto telefonam-me a perguntar se queria dar o passo seguinte, aí envergonhada
tive que perguntar como, era então para fazer o pagamento de dez livros, cinco por cada poema e assim fiz, agora aguardo, pois estará a ser editada esta semana. Mas sinceramente nem me passa pela cabeça o que enviei, parece mal mas estou a ser honesta.
Sabes eu sou como um pássaro, ando de galho em galho, sem parança, assim o tempo também me mói menos o jhuízo.

Tenho pena que não tenhas conseguido, mas realmente ainda não é assim tão pouco o dispêndio.

Beijinho amiga, obrigado pela força!

natalia

:) Um dia, quem sabe? Por enquanto tenho o Poeta porque Deus Quer, com a Autores-Editora e isso já é uma imensa felicidade, embora continue sem saber se vai ou não haver lançamento localizado no tempo e no espaço. A autarquia está com um trabalho imenso este ano, com a comemoração do 250º aniversário do Município.
Beijinho!

Olha amiga

Como sabes já tenho comigo o POETAPORQUEDEUSQUER, mas se eu souber quando o dia do lançamento lá estarei para
me colocares um autógrafo e para te dar um abraço, claro que estás feliz, és uma Poeta de Alma Grande.

Beijinho!
rosafogo a 3 de Julho de 2009 às 15:49

Natália

Porque a amamos (a poesia) porque os estados de alma são tão importantes na manufactura das palavras, porque o amor por ela é incondicional, derramamo-la por aí, onde quer que haja um coração ou um olhar para a acolher! E mesmo
que não houvesse, ela seria sempre poesia, mesmo que errante!

Pelo que li nos comentários por aqui, vais correr o risco de me teres como companheira na Antologia "Entre o Sono e o Sonho", será uma honra para mim!

Beijinho e bom fim de semana

Utopia das Palavras a 3 de Julho de 2009 às 18:12

Minha querida amiga

Estou feliz com a notícia que me dás, sobre a colectânea.
Neste momento nem vais acreditar no que me aonteceu, saímos de mota e derrapamos na areia, eu estou só esfolada
nos joelhos mas o meu marido foi para o hospital de Portalegre, estou á espera da minha filha que vem de Lisboa para me
levar até ele.
Hoje já não vou estar por aqui... mau sinal, mas quando não esperamos as coisas acontecem. Isto porque pensamos que ainda estamos jovens e destemidos nos metemos nestas andanças.
Logo que possa falo contigo mais um pouquinho.

Obrigada, por teres deixado palavras bonitas como sempre me deixas
Um beijinho
natalia
rosafogo a 3 de Julho de 2009 às 21:13

Ausenda

Agora já um pouco mais sossegada, pois não há nada partido, apenas magoado, volto com mais calma falar um pouco mais contigo.
Adorei saber da notícia da tua companhia na colectânea, e eu é que me vou sentir muito honrada, aliás ainda me parece mentira, estou muito preocupada, porque como escrevo muito depressa ( defeito de anos de dactilógrafa), de vez em quando, faltam-me letras ou palavras mal escritas, mas agora é aguardar, seja o que Deus quiser.

Me apraz, muito falar contigo, do nosso amor á poesia, porque tu és mestra, e eu procura idealizar e embelezar o que escrevo modestamente a meu modo, mas também com muito amor pelo que escrevo. Depois minha amiga seja o que tiver de ser, se ficar por aí errante , não deixará de ter a sua beleza.

Bom fim de semana para ti
e um beijinho com muita amizade
natalia
rosafogo a 4 de Julho de 2009 às 15:24

Olá Rosafogo!

Como sou feliz por ter tantos amigos poetas
cujo amor à poesia é tão grande como o meu
é delicioso ler poemas de mentes despertas
agradeço esta dádiva que o destino me deu

Fico muito contente com as noticias que li sobre a edição de poemas seus. Agora contradiga o que lhe venho dizendo, há muito, sobre a sua poesia!!!! Espero sinceramente que os últimos acontecimentos não tenham passado de um susto e tudo esteja bem com o seu "mais que tudo". Abraço muito grande.
manu a 3 de Julho de 2009 às 21:59

Meu amigo

De quando em quando o sonho aparece
Outras vezes com o tempo vai morrendo
Mas um dia acordamos e acontece
Que um novo sonho, Deus nos está concedendo.
E no meio da nossa pequenês
Julgamo-nos maiores outra vez!

Assim acontece comigo, quando estou prestes a desistir, algo acontece, e me trás mais um pouco de coragem.
Eu, tal como o Manu, também estou feliz, por ter tantos amigos e muito bons na poesia.

Obrigado pela sua preocupação, já estamos em casa, apenas magoados, mas não vamos desistir!
Loucura é loucura, embora saibamos que isto de motos é para gente jovem, vamos ainda tomando o gosto e é optimo.

Um abraço e bom fim de semana
natalia
rosafogo a 4 de Julho de 2009 às 15:37


mais sobre mim
Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

2
3
4

6
7
10
11

12
13
14
15
16
17
18

20
21
23
24
25

27
29
30


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro