Terça-feira, 28 de Julho, 2009

 

 

Quando era pequena, sonhava ser cantora famosa , depois com um pouco mais de

idade sonhava acabar o curso para poder ser hospedeira, naquela altura da Tap, para correr mundo.

Entretanto matriculei-me na Antonio Arroio e sonhava ser pintora, como o dinheiro não abundava depressa arranjei emprego e então queria aprender a tocar acordeão nos tempos livres. Sempre esvoaçando de sonho em sonho, escrevi ao Ministro do Exército, pois queria ser pára-quedista, mas não havia paraquedas para rapariga, aí  decidida a não me ficar pela

secretária, resolvi que havia de dar voz à leitura de documentários na TV e lá concorri, mas

havia demasiados padrinhos e eu não tinha nenhum. Não sei se esqueço de mais algum mas no meio de tudo isto há um episódio engraçado, eu que nunca tive ginástica, foi o primeiro emprego que me apareceu (Prof de Ginástica),  numa Esc Sec. em Coimbra, continuei  a enviar alguns currículos e finalmente um pouco triste , segui da minha aldeia  directamente para o Porto, onde desempenhei funções de escriturária  no H. S. João.

E assim me foram cortadas as asas, mais tarde já mulher feita, trabalhava no  Entreposto Postal Aéreo e ainda sonhava , quando na pista via os avíões partir.

 

SONHOS

 

 

Nas asas do vento meu sonho coloquei

O tempo o rasgou num sopro,  transido

Meu sonho gritou, jamais o alcançei

Esqueço se existe ou se  anda perdido

Meus olhos de chorar embaciaram

As desilusões os despojaram do seu brilhar

E os dias tristes, langorosos se tornaram,

Inertes, no pensamento ficou o sonho por despertar

 

Procuro por ele nas nuvens do horizonte

Na chuva miúda que tráz a  fresquidão

Toco uma flauta, pastoreio no monte

Espero que a brisa devolva o sonho, velha paixão.

Ai se pudesse pendurar-me numa estrela

Ou num braço da lua, bem em segredo

Esquecer o tempo, e a Vida... vivê-la!

Com um novo sonho, um recomeço sem medo.

 

Neste entardecer, aguardo o momento

Na memória uma luzinha a aquecer-me a vida

E o sonho de mansinho, talvez volte nas asas do vento

Voltará  a mim ,mas já de esperança ressequida.

A minha viagem, foi longa estou cansada

Que milagre espero ainda?

Meu espírito está calmo, mas a saudade é danada!

Soçobro ante uma  esperança que não finda.

 

 

 

 

publicado por rosafogo às 21:23


Olá Natália,

Sonhos, sonhos, sonhos....Sempre sonhamos e raramente concretizámos...E os anos vão passando, e os sonhos eternamente adiados....

Beijinhos
Alex
inoutyou a 28 de Julho de 2009 às 22:42

É verdade amigo, tantas voltas deu a vida, para ao fim não concretizar nada do que gostava. Eram só sonhos!
E a gora? Vivo de sonhos novamente, cada verso é um sonho, razão tinha o professor de me achar louca, só ver moinhos
p'la frente.

Alex, olhe amigo estive a acabar o poema, se calhar nem teve tempo de o conhecer todo porque coincidiu com o seu
comentário. Sabe eu às vezes já depois de postar, não gosto deles e aí acrecento mais um pouquinho de modo a ficar mais equilibrado.

Beijinho, então e as férias?
fique bem
natalia

Olá Natália,

Férias??vêm a caminho (já na próx. sexta feira). e este ano vão ser mesmo férias. não tenciono correr muito por aí nem tão pouco me matar por aqui...férias, são férias...

Beijinhos
Alex

Muito bem amigo, também estou a pensar ir passar dois ou três dias ao Gerês sabe bem , apesar de que tenho um pouco de medo das estradas nesta altura, há muitos emigrantes no norte e ouve -se tanta coisa que me amedronta.
Mas o melhor mesmo é descansar e passá-las em paz,e o Alex tem a sorte de ter esse mar maravilhoso por perto, que mais quer?
Pois que corra tudo na medida dos seus sonhos.
Um beijinho
natalia


Obrigada Natália. Também gosto muito do Gerês, e já lá não vou talvez à 5, 6 anos (para quem ía quase ano sim, ano não...)
Mas é como diz, nesta altura anda muito carro nas ruas e qual deles o mais rápido com pressa de chegar ao destino....Mas o destino é que sabe destas coisas...se tiver de correr bem, vai correr concerteza..

Beijinhos e Boa noite para si
Alex
inoutyou a 29 de Julho de 2009 às 21:56

Vale sempre a pena sonhar, nem que seja só para esquecer por um bocadinho o mundo que nós rodeia. Quem não sonha não tem alma, sempre ouvi dizer isso. E o Homem é um animal sonhador por natureza. Por isso, sonha. SEMPRE.

Beijinho flautístico,
J.F.
Katerina K. a 29 de Julho de 2009 às 14:06

Olá Joana
Vale sempre a pena... e eu desejo que os teus sonhos se realizem, que não os deixes escapar, tens todo o tempo do mundo para os realizar e com a força que te conheço, vais conseguir.

Vamos sonhando as duas
beijinho com ternurã
natalia

Sonharei, podes ter a certeza!

Beijinho flautístico,
J.F.
Katerina K. a 30 de Julho de 2009 às 10:46


Olá minha linda...
Ao menos tentas-te...ao menos sonhas-te...ao menos tens memórias para recordar, e é assim que vamos levando a vida...
beijo grande com carinho
anna
tangerina a 29 de Julho de 2009 às 17:39

Olá Anna
Que bom , já tinha saudades tuas e já fui também ao teu cantinho, fazer das minhas.
Como vês amiga passei a vida sonhando, tentando, se calhar sem a perseverança que teria sido necessária,
e também a ingenuidade que a juventude nos dá, o querermos tudo alcançar até o que não está ao nosso alcance.

Mas ainda hoje, mesmo levando a vida a sério, intervalo com sonhos.

beijinho grande carinhoso
natalia

E a capacidade de sonhar não tem idade e todos os sonhos são como que carregamentos da bateria da alma e do espirito....eu cá sou uma"sonhadeira", ehehehehe, ando sempre com a cabeça na lua...o meu marido diz-me sempre q eu sou pior que as crianças, talvez pq eu nunca deixei a minha criança interior crescer, e continuo a sonhar...sempre!
beijocas e abraços grandes.
anna
tangerina a 30 de Julho de 2009 às 16:38

Olá amiga Natália. Adorei a prosa e o poema. Adorei saber que escolhias as profissões, antes mesmo de haver os lugares, para preencheres. A isto eu chamo uma mulher à frente do tempo. Mas claro não baixaste os braços, só porque não havia pára-quedas uni sexo. Olha amiga Natália. Na profissão, eu tive sorte, tive a profissão que escolhi, mas também foi uma luta de quase morte. Mas eu pensei que tinha que ser electricista de máquinas, e fui mesmo. Ainda hoje choro pela minha profissão que amei sempre, e desempenhei com grande brio. O poema, está maravilhoso. Está provado também que és uma mulher de armas. Parabéns por seres assim. Um beijo deste amigo do peito. Eduardo.
Fisga a 29 de Julho de 2009 às 18:26

Tens razão amigo, eu devia estar a chegar agora à vida, como tudo seria diferente!?
Do que mais pena tenho, foi de não ter dado aulas, de desenho, sabes eu adorava desenhar
e por isso ainda vim à Escola de Belas Artes, mas a escola, os transportes e a hospedagem, ficavam caros
tive que desistir.Mas paciência, passou, passou e a vida é mesmo assim, quantas pessoas gostarão do que fazem?
Tu tiveste essa sorte, mas eram poucos na nossa altura que seguiam o que desejavam, porque trabalhar era essencial
e o estudo fora da terra era impossível.
Tu gostas sempre do que faço, porque és meu amigo.
Eu acho que este poema está um pouquinho pobre, mas nasceu assim...
Olha Eduardo, passa bem
um beijo
natalia
rosafogo a 29 de Julho de 2009 às 22:07

Olá amiga Natália. confirma-me por favor se o teu gmail é este.

= natalia.nuno6@gmail.com

é porque eu mandei-te um p. p. s. e veio devolvido por erro no endreço.
Beijinho eduardo.
Fisga a 29 de Julho de 2009 às 20:41

Amigo
o mail está certíssimo é de facto natalia.nuno6@gmail.com
Tens de ver de novo, tenta por favor,olha Eduardo eu ainda não recebi os livros, hoje também não
estive, não lhes telefonei, mas amanhã, de manhã vou tentar lá ir buscá-los, embora a morada me
pareça um pouco complicada.Disseram que os começavam a distribuir na segunda e nada, e amahã vou para a aldeia de tarde, vou ver como posso resolver.

um abraço, fica bem
natalia

Eduardo já estive a ver os mails lindos que me enviáste.
Obrigado, adorei, belas paisagens, tudo um sonho
Bem hajas
abraço
natalia
rosafogo a 29 de Julho de 2009 às 23:32

Olá amiga Natália. Eu não fico bem, ao tomar conhecimento que te andas a incomodar demais comigo, eu não mereço tanto. Quando estiver na hora de as coisas chegarem, elas vão chegar com certeza. Olha amiga Eu vou dizer-te uma coisa e faço questão que entendas bem o que eu te vou dizer. É assim: Eu agradeço-te imenso o grande favor que te propuseste fazer, e não sei com que te pagar. Mas se não for com outra coisa, será com a minha amizade. e já agora Não é crer dado e arregaçado, mas agradeço que assines o livro. mas que fique bem claro. todas as despesas com o livro, desde o preço até aos portes é tudo para eu pagar aqui no acto da entrega. expliquei-me bem? Espero que sim. E agradeço-te muito a tua disponibilidade e simpatia, em te prontificares a fazer-me chegar o livro à mão. muito obrigado beijinho. Deste amigo do peito Eduardo. P.S. Espero que na resposta, me digas que entendeste o que eu disse. Obrigado.
Fisga a 30 de Julho de 2009 às 10:16

Eduardo não te preocupes que não me dás trabalho nenhum e percebi perfeitamente o que dizes. Sómente ainda não me contactaram para a entrega me ser feita e o telefone de lá não atende, já pensei em me deslocar, mas nem sei horário
conveniente, de modo que vou aguardar. Como hoje vou à aldeia, não estou se vierem sem telefonar também não me encontram , então temos que aguardar.

Fica bem, um abraço da amiga
natalia

Olá amiga Natália. Não te preocupes comigo. É pena realmente as coisas estarem a correr mal para ti, mas olha tens que ter paciência. Eu não me fás diferença nenhuma mais ou menos uns dias por isso pelo meu lado estás à vontade.
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Olá amiga Natália. Não te preocupes comigo. É pena realmente as coisas estarem a correr mal para ti, mas olha tens que ter paciência. Eu não me fás diferença nenhuma mais ou menos uns dias por isso pelo meu lado estás à vontade. <BR class=incorrect name="incorrect" <a>Obrigadio</A> pelo teu carinho e disponibilidade. Um beijo Eduardo.
Fisga a 30 de Julho de 2009 às 21:15

Querida sobrinha

De vez em quando apetece-me falar contigo, mas como sou preguiçosa para telefonar e isto aqui está muito mais
ao alcance, lembrei-me agora, de falar um pouquinho contigo. Reparáste como a tia ficou parada, nem parece meu, e
os amigos, é o máximo que me poderia ter acontecido nesta etapa da vida. Tu que me conheces, sabes como é a minha preocupação com os outros e com tudo o que me rodeia, e que por vezes fico um pouco em baixo, mas recupero o
bem estar, aqui fazendo o que me dá prazer e que também passa por ser um desabafo.
Agora vou fazer uma poesia pequenina para te oferecer, e vai ser assim feita directa espero que gostes, vamos ver....


Quero repartir contigo este viver
Quero que sonhes e não seja em vão
Que nos passos do teu amadurecer
A felicidade esteja sempre à tua mão
Que fascinada, olhes o Mundo
Com tudo o que houver de bom p'ra te acontecer
Sintas no peito sempre esse amor profundo
Que os teus dias sejam belos como um amanhecer.
Que tudo o que na vida planeias
A ti te baste estender a mão
Porque de sentimentos puros te rodeias
Tudo mereces!Ser feliz... como os que o são!

Para ti Verinha, com um beijinho de muito carinho
natalia
rosafogo a 29 de Julho de 2009 às 23:11

Rosafogo (Natália):

É assim a vida, cheia de sonhos, de anseios, de desejos, quais pombas que ou não saem do pombal da nossa alma ou então voam por aí e regressam sempre, sem encontrar novo e atraente poiso, ou muito menos um paraíso. Os sonhos, na maioria das vezes, não se concretizam, mas é sempre bom e necessário sonhar.
Os sonhos que a Natália teve! E ainda os recorda com saudade!
O seu poema é, mais uma vez, lindo, realista, simples e fácil de compreender, apesar de falar do seu sonho, qual misto de todos os seus sonhos, que o vento, ou o tempo, quebrou e levou, mas a Natália, qual jovem esperançosa, ou qual viúva inconsolável do sonho, parece esperar eternamente que seu perdido sonho regresse ainda um dia, o sonho que parece ainda estremecê-la de saudade.

Um beijinho para si, Natália.
Mírtilo
Mírtilo MR a 29 de Julho de 2009 às 23:54

Quantos Sonhos, Amigo!

Mas agora o sonho está muito fragmentado, o tempo na devida altura não o consolidou e eu continuo s sonhar.
Agora realiza-se através de pequeninas coisas para mim preciosas, como seja ter os netos por perto, viajar, poder passear à beira mar, ter amigos etc. Tudo isto vai compondo um todo que também me faz sonhar e porque o destino assim quiz, também me fiz poeta... como o destino é caprichoso, tantas vezes a tirar-me o chão, mas desta vez
é como o amigo MÍRTILO diz ainda estremeço mas agora de alegria quando recebo palavras amigas e solidárias aqui nos comentários dos meus amigos queridos.Daí que me sinta muito mais feliz.

Para o amigo, pela sua amizade, pelas palavras lindas que me deixa
aqui fica a minha gratidão
Um beijinho com todo o carinho
natalia
rosafogo a 30 de Julho de 2009 às 01:04

Olá amiga Natalia quem não sonha não pode ser feliz.
Quem não sonha nunca terá nada daquilo que a vida lhe poderia dar.
Bonito pema, gostei muito.
Casimiro Costa
casimirocosta a 30 de Julho de 2009 às 09:08

Enquanto sonhamos o Mundo pula e avança.
As minhas esperanças são resistentes e os sonhos também, amigo Casimiro
e então antes que surja alguma tempestade, que às vezes aparece
num repente,vou vivendo e versejando para minha alegria.

Um abraço amigo Casimiro, obrigado p'la amizade
natalia


rosafogo a 30 de Julho de 2009 às 22:02

Descupa a "intrusão" neste teu espaço mas perante o teu texto apraz-me dizer-te que se "o sonho comanda a vida" então continua a sonhar para que sejas tu a ficar ao leme.

Cumprimentos
noitesemfim a 30 de Julho de 2009 às 11:35

Amigo João
Este espaço é de todos os amigos, que nele se sintam bem.
Não és nenhum intruso, muito pelo contrário, és mais um amigo
que me deixa palavras de carinho, fico-te grata por isso e volta sempre.

Um abraço
natalia
rosafogo a 30 de Julho de 2009 às 22:06

Olá Rosafogo!

Sonhos, sonhamos pela vida fora
mas nem sempre eles se realizam
concretizar um sonho não tem hora
e é tão bom quando se concretizam

nunca pare de sonhar os seus sonhos
minha amiga, mulher de sete ofícios
vejo esperança nesses olhos risonhos
um sonho vale mais que mil sacrifícios

Beijos, amiga
manu a 30 de Julho de 2009 às 21:47

Olá Manu

Para a frente é o caminho
Com tristeza ou alegria
Recebendo tanto carinho
Melhor se passa mais um dia!

Os sonhos vamos dividindo
Na poesia vivemos deliciados
Valerá a pena ir insistindo?
Ou não passaremos
de vagabundos mal amados?!
Então pensaremos:

Valeu a pena?

Manu, estou a tentar pôr a leitura em dia, i ir também ver o que os amigos têm postado, pois
desde que cheguei de viagem, que ando um pouco cansada, incapaz de prolongar a noite e esse
tempo faz-me falta. As férias p'ra valer, aquelas férias de absoluto descanso fazem-me falta.
Mas tem que se fazer opções e este ano, optámos pela viagem e foi maravilhosa mas muito cansativa.

Obrigada pelo carinho
beijinho amigo
natalia




rosafogo a 30 de Julho de 2009 às 22:30


mais sobre mim
Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

2
3
4

6
7
10
11

12
13
14
15
16
17
18

20
21
23
24
25

27
29
30


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro