Domingo, 09 de Agosto, 2009

 

Agora estou dividida, porque passei a postar no Luso Poemas,

e também já por lá arranjei amigos. É verdade, eu já vos tinha dito, sou como criança curiosa

fui ver depertou em mim o desejo e foi um instante enquanto decidi fixar-me por lá também.

Mas vou estar sempre aqui, quando regresso do Luso, venho cheia de saudades e por isso

vou ver se consigo agora mesmo, deixar uma poesia e visitar alguns amigos.

 

LUTA

 

Longo este caminho escarpado

Que me arrasta p'ra solidão

Da esperança terei resvalado?

Ouço os brados da multidão!

Solidão é tudo o que resta

Tem nome é « desespero»

Mas vejo o Sol além

E espero...

O silêncio se adensa, algo vem

Esboço um sorriso é uma festa!

Mas o futuro ainda é minha pertença?

No olhar  de novo o abatimento

Só me resta o esquecimento.

 

Solto murmúrios, sem entoação

De quimeras nem ouso lembrar

Dissimulo o medo

Da vida perco a noção.

E em segredo,

Fecho-me numa angústia contida

E fico a ouvir meu sonho falar.

Mas  numa luta desabrida

Deito mãos à vida

E perante ameaça de tempos futuros

Finjo ser hera disfarçada, enlaçada aos muros.

Dos meus dias?!

A nostalgia é rainha

Tenho sombras no lugar das alegrias

Fico de rosto sombrio a ruminar

Olho o céu, uma nuvem negra

A tristeza é contágio!? Eu me deixo contagiar!

Ah! Mas à Vida dou refrega!

Não se lembre ela de me deixar.

 

 

 

 

 

 

 

sinto-me: Bem disposta
publicado por rosafogo às 23:51

Olá...

Pode a vida ser achada
nas asas duma teimosia infinda?
Pode o sonho ser cantata
duma ária suave e linda?
Que faremos com a vontade
que nos atira p'ra diante
se recusarmos olhar e ver
o que fomos e o que somos,
nas estradas todas da vida?
Não há solidão que amarre
o porfiar de quem ama,
nem angústia que detenha
a voz que, rouca embora, nos chama
e nos impele a vencer porfiando
contra ventos e marés...
Sê o que sentes e sorri...
Há luz nos escaraparates do horizonte...
Para lá das noites há sol...
Para além das tormentas há calma!
E nos silêncios da alma
há um amanhã (que eu bem vi...)
Por isso não inventes ser quem tu és!
Sê apenas... Vai teimando!

Natália,

Bem sei que a solidão de quem se constroi poeta, tem cambiantes de breu, de noite escura, de abandono e perdição!
Mas nada justifica a perda de um rumo, de um destino, de uma meta...
E os anos são isso e apenas isso: anos! A vida é um percurso que deveremos fazer somando dias a outros dias, até que o último dia chegue! Por favor, não te percas em coisas menores; a vida merece que tu lhe exijas mais!

Apetece-me repetir, porque acho de uma grandeza sem definição: Faz o favor de ser feliz!

Beijo
PC
Paulo César a 10 de Agosto de 2009 às 10:24

Como estás ?
Tantas coisas bonitas que me dizes, mas não sabes da vontade que às vezes me atira para trás e a luta
que necessito travar para continuar.Creio que já exigi (quase tudo) já pouco posso esperar.Mas com o
incentivo que me dás, vou andar prometo, venham tempestades, ventos fortes, a nenhum me vergarei
Vou fazer tudo para ser feliz. Mas... a poesia pende sempre para o meu lado melancólico,

aquele lado teimoso
que me atravessa o espírito
me lembra os anos vividos
e caio na armadilha
enraiveço-me, largo os sentidos
e a solidão me perfilha
e... toma conta de mim.

Mas acabo sempre dando a volta!

Beijo com muita amizade, que a ti te sorria a vida
Será que estás no Luso e eu não sei?

natalia (natural das lapas)
rosafogo a 10 de Agosto de 2009 às 22:13

Olá Natália,

Leste o e-mail que te enviei?
Estou a aguardar a tua opinião. Pf responde!

Quanto ao Luso já nem sei se estou registado ou não.
Vou ver, mas acho que não tenho lá nada!

Beijo PC

Olá amigo

Não li, porque não encontro nada na minha caixa de correio,
será que enviaste para natalia.nuno6gmail.com ?

Não vejo... tens que enviar de novo.

abraço, fico a aguardar
natalia
rosafogo a 11 de Agosto de 2009 às 16:00

Desculpa saíu mal o mail é mesmo: natalia.nuno6@gmail.com

Agora sim está correcto
Abraço, para ti Victor com amizade
natalia
rosafogo a 11 de Agosto de 2009 às 16:03

Natália,

Reenviei para o mail que indicas.
Já antes enviei para esse.
Se não aparecer nada liga para o 932370095.

Beijo
PC

Só agora fui ver e não tenho nada teu , é estranho porque recebo outras mensagens. Mas não te
preocupes amanhã telefono, não disseste a hora, mas eu tento, que seja ainda de manhã.
Hoje foi um dia, que não deu para nada, só agora vim ver os comentários.

Amanhã ligo, bons sonhos
beijo
natália
rosafogo a 12 de Agosto de 2009 às 02:03

Olá Natália. De volta depois de alguns dias ausente, visito amigos e deixo uma palavra amiga. Nesta poesia, só posso dizer deixar a tristeza de lado, como um livro em descanso , para o voltar a abrir em dia de sol, deixar que o vento nos envolva na brisa e levante voo pelos céus ao encontro de nós em cada dia da nossa vida.
Beijinho no teu coração Lisa
maripossa a 10 de Agosto de 2009 às 19:25

Olá amiga Lisa

Ausente, mas sempre conosco que somos teus amigos.
Eu agora também me disperso um bocadinho, porque passei a postar no Luso-Poemas
e há necessidade de mais tempo, então se calhar não irei com a assiduidade que ía
visitar os amigos, mas sempre que possa lá estarei, porque me sinto bem, lendo as
coisas bonitas a que me habituaram, tal como tu.
Obrigada pela tua palavra sempre amiga.

Um beijo com amizade
natalia
rosafogo a 10 de Agosto de 2009 às 22:18

Olá Rosafogo!

Olhem a poetisa que se reparte
mostrando ao mundo a sua arte
questionando a posse do seu futuro
Sim, o que aí vem é sua pertença
acredite e nunca perca a crença
mesmo que lhe pareça tudo escuro

Ser poeta também é questionar em pernanência. Abraço Grande.
manu a 10 de Agosto de 2009 às 21:12

Olá Manu!

Verdade, com arte ou sem ela
Voei , abri minhas asas ao vento
Foi só atirar-me da janela!
E cheguei lá no momento.

É verdade amigo, fui ver como era e resolvi participar, são tantos, eu sou mais uma, mas é interessante,
porque se podem postar 3 poemas por dia vê-se os resultados ou seja, a estatística dos mesmos e vamos subindo
de «categoria» consoante a participação, agora já tenho três estrelas quase quatro, como vê já me sinto uma
estrela.Mas tenho tido comentários que me enchem de orgulho, ou será vaidade? Não sei, tenho que estudar este
pormenor.
Mas não pense que se safa aos meus comentários!

Abraço Manu com muita amizade, espero se encontre bem.
natalia
rosafogo a 10 de Agosto de 2009 às 22:29

olá Natália!
Já li o seu poema de hoj e também já andei pelo Luso Poemas. Mas hoje, estou com pouco tempo e vou ser breve. Passei sobretudo para a avisar de que tem um mail que lhe enviei e que deve ler com urgência.
Beijinho
Maria de Jesus a 10 de Agosto de 2009 às 22:54

Muito obrigada Mª de Jesus

Já li a sua mensagem e vou aderir, sempre pronta a viajar.
Grata pela sua amizade

beijo
natalia
rosafogo a 11 de Agosto de 2009 às 00:00

Caramba, amiga! Agora que falas nisso, tenho uma ideia de ter contactado a Luso Poemas muito no início do poetaporkedeusker... ou talvez antes, nem me lembro bem.Mas nunca mais lá fui! Também não sabia ainda como estes blogs me iriam preencher o tempo inteirinho e quanto eu acabaria por me dedicar, de corpo e alma, à poesia e, sobretudo, ao soneto...
Um abraço grande, grande!
poetaporkedeusker a 11 de Agosto de 2009 às 11:02

Olá amiga
Sinceramente nem sei como tens tempo para tanto.
Isto por aqui um dia destes estava um pouquito morto
e eu olha resolvi ir ao Luso e fiquei por lá, mas não sei se vou dar conta
era bom não ter mais nada para fazer, mas não é assim, grande parte do tempo
é geralmente já bem tarde que por aqui me perco.
É difícil, porque me habituei também a ler e sinto a falta, teno dois livros a meio
e não acabo, mas só vou onde chegar, quando me sentir desconfortável, olha
tiro férias (fecho para obras).
Se puderes dá lá uma voltinha, eu acho agora que já li alguma poesia, que há valores por ali.

Um abraço grande, gosto de falar contigo, assim singelo, sem preocupações de escrita, eu sei que me entendes,
o tempo não abunda, e eu falo-te directo como se visse os teus lindos olhos.

Abraço grande
rosafogo


rosafogo a 11 de Agosto de 2009 às 15:47

Também valorizo muito estas conversas "de olhos nos olhos", amiga! :) Também eu gostaria que o tempo se "esticasse" mais, no dia a dia... estou cada vez mais lenta e acabo por não fazer nem um milésimo do que gostaria de fazer... :) e depois há aquela horinha ou duas de que não quero, de forma nenhuma, abdicar... é quando vou tomar café com a D. Fernanda e a D. Isa. Nos dias melhores rimo-nos como miúdas pequenas! Faz tão bem... ali as conversas "a sério" podem não ser nada de especial, pertencemos a extractos culturais muito diferentes... mas entendemo-nos às mil maravilhas nas gargalhadas! Foi por isso que baptizei o grupo de G.A.T.U.N.G.A. - grupo de acção terapêutica unidas na gargalhada - de vez em quando, lá passamos por uma fase menos inspirada, mas no geral, divertimo-nos imenso naqueles bocadinhos de fim-de-tarde!
Um grande abraço!

Oi qauerida amiga, repara só nas horas a que te estou a escrever,é que hoje tiva cá a jantar uma sobrinha , o marido
e a minha filha mais velha com os filhos, como há muito que não me reúnia com ela, estivemos a conversar atá agora,
daquelas conversas que as pessoas da minha idade, já contaram pela milésima vez e que eles coitaditos ouvem sempre sem fazer questão de dizer que já sabem. Eu reconheço que já vai acontecendo isto mesmo que acabo de te contar e ainda há meia dúzia de anos chamava a atenção da minha mãe por ela estar sempre a repetir-se. Mas dizia eu que cheguei só agora aqui, no entanto estou bem acordada e gostei de te encontrar, saber que também passas bons momentos com a D. Fernanda e a D. Isa, que bom para ti e para elas, ainda bem que se entendem, são momentos bons de convívio saudável, ficamos de alma aliviada. Eu adoro encontrar-me com duas ou três amigas que tenho, também
fazemos festa.

Aqui com quem mais falo é contigo, com o nosso amigo Eduardo e com a Mª Luísa que também é uma jóia de pessoa.
E assim vamos passando palavra, dizendo algumas coisas que nos vão cá dentro e vida , fica melhor a meu ver...

Beijinho grande, quando te apetecer conta comigo, para uma conversinha com muito carinho te deixo um
abraço grande
rosafogo a 12 de Agosto de 2009 às 01:32

Olha Maria João estou envergonhada com os erros, ando de dia para dia para ir trocar de óculos e entretanto vou trocando os dedos, não ligues amiga, lê e não faças mau juízo, estou sempre a dizer que me vou emendar e é o que se vê.
Abraço
natalia
rosafogo a 12 de Agosto de 2009 às 01:36

Olha que fazem mesmo maravilhas estas pequenas reuniões de café! Claro está que nem sempre atingimos o objectivo das gargalhadas, mas há dias em que rimos até nos doer a barriga... e é sempre de pequeninas coisas que fazemos ou dizemos. Elas acham que eu me visto muito mal e eu, que não me ensaio nada de vestir nove camisolas nos dias de frio, quero é que me deixem vestir-me como posso e quero. Agora estou com o cabelo muito comprido e muito grisalho. A D. Isa já prometeu que, um dia destes, me dá uma tesourada... acabamos sempre a rir imenso com estas palermices, mas eu acho que tenho de começar a ter cuidado porque ela é bem capaz de me dar a tal tesourada! :)))
São mesmo pequenas tontices, mas fazem muito bem!
Ainda bem que também tens os teus familiares, a quem vais contando as tuas histórias de vida. É assim mesmo, é! Eu também me vou esquecendo do que já contei, mas é assim que se vai passando a tradição oral e, embora não nos demos conta disso, tudo isto é fazer cultura! E fazer cultura num ambiente de afecto e carinho, é uma maravilha nos dias que vão correndo!
Um enorme abraço para ti, minha amiga!

Também me ri com as vossas loucuras, tem lá cuidado com o cabelo, assim dá-te para o apanhares
e ficas giríssima. no que rspeita à vestmenta, cada um é que sabe como se sente bem, eu também não gosto de complicações as minhas amigas (calças de ganga) sempre ou quase sempre me acompanham e para cima qualquer
blusa ou camisola serve. Agora também sofro um pouco com o Inverno, até aqui não, só não gostava do calor, sabes como se diz «como somos elegantes qualquer trapinho nos fica a matar», olha amiga isto são as raparigas da minha terre
quando lá apareço... esta rapariga tudo lhe fica bem! Calcula.

Com as tuas palavras fizéste-me lembrar o quanto eu queria ter anotado tanto provérbio e tanta estória que a minha mãe
contava às netas e recentemente aos bisnetos, mas infelizmente deixei-a partir fcámos sem nada. Não fazes ideia,
ela tinha a 5ª classe mas sempre de armas, chefiou um armazém de linho com 40 pessoas (mista) e era sabedora, conhecedora de tudo, as netas ganhávam prémios na escola com estórias que ela lhes contava, por isso tenho pena de
não ter tudo escrito.Repara que faleceu ano passado com 97 anos, falo duma mulger a chefiar homens há cinquenta
e muitos.

É assim amiga, vai chegando a vez a todos, mas eu ainda me sinto uma cachopa, quanto mais tu que és mais novinha.
Atenção ao cabelo, já vi que essa tua amiga gosta de dar umas tesouradas. Diverte-te e passa teus bons momentos mereces.
Abraço minha querida amiga
natália
rosafogo a 12 de Agosto de 2009 às 15:29

Que pena não terem conseguido preservar essa sabedoria! Mas eu acho que tu a sabes transmitir muito bem! Sais à tua mãe!
A minha morreu ainda relativamnte nova, com uma doença autoimune semelhante à minha e o meu pai ainda mais novo era quando o cancro o levou. É a vida! É só para ficares mais ou menos por dentro de como as coisas vão. Mas eu não vivo, de forma nenhuma, "fixada" nisso, não fiques agora triste!
Um grande abraço!

Espero que não, desejo muito saber que estás bem, embora não te conhecendo, é como se assim
fosse existe um apego, e assim eu de facto me preocupo contigo e com todos os amigos com quem mais me identifico,
ou pelas palavras que me deixam, pelas demonstrações de carinho, pela poesia vossa que me diz muito, olha seja p'lo que fôr. às vezes sinto-me cansada e penso parar, mas depois... há sempre uma reviravolta o dia passa e lá estou de novo activa. Mas sabes gosto muito de ler e não tenho lido nada, também não é só falta de tempo, entrei numa
de não conseguir ser muito ordenada e perco-me um pouco.
Vamos ver até quando, haja saúde.
Abraço amiga, não te sintas na obrigação de responder, havemos de falar mais, p'lo tempo fora se Deus permitir.

natalia

PS infelizmente, somos três irmãos e nenhum saíu à mãe era duma personalidade forte e até um bocadinho difícil.
rosafogo a 12 de Agosto de 2009 às 17:28

Não é obrigação, é um prazer! :)
Eu também sinto isso tudo. São afectos diferentes, mas muito consistentes! A princípio é estranho... eu queria saber exactamente porque é que ganhávamos este tipo de afeição aos amigos virtuais, mas não há "exactamentes"... haverá teorias. Provavelmente muitas estarão ainda em elaboração... mas acontece mesmo!
Abraço grande! O Centro está a fechar!

Hoje tirei umas horitas para estar com os amigos daqui, já que nos ultimos dias não tem sido fácil. Estou em falta com as minhas visitas a este cantinho, que como já disse muitas vezes, me traz a serenidade de que muitas vezes preciso e só aqui encontro na tua poesia menina, angustiada às vezes, mas sempre doce e serena!
Com que então voou para a Luso Poemas? Pois olha eu também por lá ando, mas já algum tempo que não escrevo, é um lugar também de boa poesia e onde nos sentimos em casa também. Ainda não tive oportunidade de te dizer sobre o comentário que me fizeste no "deixei voar um sorriso" sobre o blog Entre o Sono e o Sonho, pois na altura em que foi criado a Ana Gil enviou um mail para todos os autores, com o convite para participar, provavelmente não te apercebeste e não aceitaste, mas ainda vais a tempo de o fazer.

Na luta, ganha a hera que se agarra aos muros!

Um beijo grande para ti, amiga.
Utopia das Palavras a 11 de Agosto de 2009 às 14:37

Olá Ausenda
Nunca estás em falta , vens só quando puderes e eu fico feliz, sei bem o que é não termos o tempo que desejaríamos
para andar a visitar os amigos e a fazer tudo o que gostamos, mas às vezes é num bocadinho entre o pôr da mesa,
e o cozer do arroz, por isso sei bem. Tenho lido tudo o que é teu belo como sempre, às vezes não comento, para não
estragar a beleza, dos comentários que sempre te deixam. Mas adoro tudo o que é teu é maravilhoso.

Há que lutar amiga, não vejo outra forma
Beijinho para ti também com a minha amizade
natalia
rosafogo a 11 de Agosto de 2009 às 15:56

Olha minha querida amiga, Natália. Eu cada vez passa mais tempo que te conheço, e cada vez me surpreendes mais, cada poema dos teus é sempre melhor que o anterior. Este, foi só mais um que eu adicionei pelo seu valor poético. adorei obrigado. Um beijo Eduardo.
Fisga a 11 de Agosto de 2009 às 15:56

Olá Eduardo

Como me deixas com um sorriso, com estas tuas palavras, és sempre um amigo generoso, e se gostas do que tão humildemente faço, e eu acredito que gostas, olha amigo fico feliz.Que te hei-de dizer mais, que conto sempre contigo,
pena tenho de não poder ter mais tempo para falar aqui com os amigos de que tanto gosto. Tu dizes que eu sou reformada, mas olha cada vez o maldito tempo é mais escasso, repara na hora, á pois, de dia nem tive tempo para respirar, isto de ser avó, tu dás valor.
Ainda não me disseste se tinhas recebido o livro, comentei com a minha filha que foi comigo ao correio expedir os livros
e ela diz que é capaz de ser só amanhã (que é já hoje) grande confusão!
Por agora é tudo mais uma vez te agradeço as palavras amigas que me deixas.

Um beijinho
natália
rosafogo a 12 de Agosto de 2009 às 01:45

Olá minha querida amiga Natália. Como eu te entendo, sobre o ter ou não netos a cargo. E aqui não se aplica a teoria do já falecido Tristão da Silva, aqui não somos só nós dois que sabemos, há mais a saber. Sobre o Livro, minha amiga. Estive precisamente à espera que chegasse o carteiro. Para ver se ele trazia o livro. Finalmente o Livro chegou. Olha amiga ainda só lhe olhei para a cara e vi a pagina 99 Adorei. Muito obrigado pelo teu carinho, tenho que te dizer que és um amor de pessoa. Mas com a consciência de que não é com as palavras que se paga a divida que eu tenho para contigo e eu espero que nos encontramos um dia que tu marcarás, para nos encontrarmos, tu e mais as pessoas da tua família que poderem e quiserem acompanhar-te. Para conversarmos um pouco e tomar algo. Tu que estás menos disponível do que eu me dirás quando e onde. O meu muito obrigado. Um beijinho deste amigo sincero. Eduardo.
Fisga a 12 de Agosto de 2009 às 09:43

Olha Eduardo, pronto, já recebeste, tudo bem, é um contributo p'la nossa amizade, gostaria mais que fosse só meu,
mas assim também aí está um bocadinho. Obrigada pelas tuas palavras, tu é que és um amigo gentil, sempre de palavra amiga. Logo que me dê jeito conbinamos então um bocadinho de conversa, não me esqueço.

Fica bem, beihinho
natalia
rosafogo a 12 de Agosto de 2009 às 11:14

Olá amiga Natália. Sim já recebi. Agora falta pagar, mas eu quero pagar, só tenho que ter essa possibilidade, que é encontrarmo-nos. Olha já comecei a ler e estou a gostar muito Tem poemas muito bonitos. Um beijinho. Eduardo.
Fisga a 12 de Agosto de 2009 às 19:09

É uma corajosa que põe tudo o que qualquer humano sente em palavras, a tristeza, a desesperança, a solidão, o desespero mas também a alegria, a conquista, a vitória, a esperança e o sol. É por isso que aprecio muito os seus escritos, são fortes, corajosos, não viram as costas à dor, à revolta mas também não fecham os olhos e o coração à esperança de um amanhã melhor com mais sol!

Tenho imensas saudades suas, beijos enormes

Rita
teladosentir a 11 de Agosto de 2009 às 21:13

Que saudades que eu tinha desta menina.
Então como vai? Sabe que lhe desejo o melhor do mundo, diz que eu sou corajosa, às vezes nem tanto, mas a
Rita é uma doçura sempre, com imensa paciência para nos aturar, muito lhe agradeço, e também estou feliz com as palavras que me deixa e o apreço p'los meus escritos .

Já falta pouco, para os nossos passeios... espero que já haja programas e bons.

Um beijinho com toda a minha ternura
natália
rosafogo a 12 de Agosto de 2009 às 01:53


mais sobre mim
Agosto 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
4
5
6
8

10
11
13
14
15

17
18
19
20
21
22

23
25
26
27
28
29

30
31


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro