Quinta-feira, 17 de Setembro, 2009

 

As fotos foram tiradas na minha viagem à Suiça, a ùltima tirei-a do cimo da montanha, ficando lá em baixo a Vila à beira dum maravilhoso lago. Foi uma viagem de sonho, pois

o familiar que fazia os seus cinquenta anos nos proporcionou este espectácculo de paisagem com a neve brilhando, espelhando-se no lago .Este local fica a 150 km de Milão.

Não me resta alternativa, estou na aldeia e só me restam estas fotos aqui prontas para

colocar.... a falta que me fazem os netos! Ainda não aprendi!?

 

Ansiedade

 

 

Chove nos píncaros na alma minha

Deixei a juventude! Não!?

Foi ela que me deixou!?

Faço das  tripas coração sigo  sózinha,

Restam-me migalhas, é tudo o que restou.

Caem em mim brancas neves

A estação é fria, recuso-me a entrar!

Noite escura de que me serves?!

És esperança morta, roubando meu  lugar.

 

Meu espírito se encontra na escuridão

Se esconde da hora que o espreita

É pássaro extenuado,acorrentado à respiração.

Força de  raio que  se solta, mas que a morte não aceita.

Já não sei se faz sentido

Se hei-de da Vida desertar

Meu coração me há traído?

Deixando minha alma a chorar?!

 

15h 24m - 17/09/2009

StA JUSTA

 

Mais um poema triste. numa tarde nostálgica. 

 

 

 

 

sinto-me: caída
publicado por rosafogo às 12:46


Olá Natália,

Mas não fiques assim...É proprio desta época nos sentirmos algo nostálgicos...mas logo, logo virá a primavera, e com ela todo um recomeçar de vida , de força, de esperança....

Beijinhos
Alex
inoutyou a 17 de Setembro de 2009 às 21:07

Olá Natália!
Belas Fotografias! Elas sim, a lembrar a realidade dum Inverno!
As suas palavras, como diz, tristes e melancólicas, talvez sugeridas pelo isolamento da aldeia e por este tempo a adivinhar o Outono… "chove a cântaros na minha alma " ...mas apesar disso, “A estação é fria, recuso-me a entrar!”.

Sabe? Também eu ao estar aqui senti a nostalgia do Outono. Foi a música, as fotos, as suas palavras, a imagem dessa casinha na aldeia, onde eu imagino que as tardes caem serenas e calmas e a noite se alonga numa paz bendita. Senti-me transportada numa melancolia doce! Obrigada.
Bom fim de semana e um beijinho

Maria de Jesus a 18 de Setembro de 2009 às 01:43

Olá Maria de Jesus

Agradeço a sua passagem, e as suas palavras.
Tal como imagina este lugar é extremamente calmo, calmo demais para a Vida que ainda existe em mim, mas
desta vez até cansei de bulir, pois havia por aqui muito que fazer na casa e no jardim. Como é possível um
bocadinho tão pequeno dar tanto trabalho. Mas agora dá gosto ver as flores que restam ainda sorrirem para mim.
Foram limpas, cuidadas e ainda tenho rosas, hortensias,malmequeres, bocas de lobo, buganvília, e pouco mais as
restantes já se finaram.

Só agora vim dar resposta aos amigos, fiz assim tal como tínhamos conversado, porque nem sempre dá jeito vir logo.

Ainda bem que no meio da melancolia da poesia se sentiu bem.

Bom fim de semana
beijinho
natalia
rosafogo a 19 de Setembro de 2009 às 15:34

Desculpe-me pois transcrevi erradamente a sua frase. Deveria ter citado"Chove a píncaros na minha alma"
Maria de Jesus a 18 de Setembro de 2009 às 01:48

Rosafogo

Não te sintas triste e nostálgica

A vida é feita de pedaços

Apanhados aqui e ali

E de momentos escassos.

Aproveita os momentos Maiores

Usufrue deles

E me dá um pouco,
do que me foi tirado,
mas o poeta não morre
o poeta não desce
quando escreve.

O Poeta vai subindo degraus
Sempre e sempre degraus,

Quando escreve.

Ninguém o pode fazer descer,

Apenas Deus, o pode Parar!

Estive na Suiça , conheço a Suiça, tenho uma prima casada com um suiço, a viver em São Paulo- Brasil.

E dou a volta ao mundo
Mas não dou a volta à vida,
Isso não dou!

Obrigada por escreveres, com melancolia ou sem ela

E por subires degraus, de cada vez que escreves

Como eu faço,
como fazem os Poetas
Eles não descem

Só descem e se ajoelham
Quando Deus os chama!

Graças te dou, pela tua sensibilidade e beleza de alma.

O tempo vai passar,
passa depressa
e em breve,
tu vês os netos, os filhos
e de novo,
Outro lugar do Mundo!

E a nostalgia se refugia,
Noutro espaço.

Adorei escrever-te
Saber quem és
E me pertences, um pouco,
Por seres Poeta
Como eu sou
E subires comigo
Sempre,
Ao Cimo da Piramide
Onde avistas
a lealdade e a verdade
da tua Vida.

Sê Feliz, por instantes breves.
Aos poucos e lentamente
Subindo sempre,
Nunca descendo!

Beijos da,

Maria Luísa

M.Luísa Adães a 18 de Setembro de 2009 às 08:10

Minha querida poetiza

Lindo o que me deixaste
A Vida é mesmo feita de pedaços

Mas vamos tentar, ser felizes
Na poesia já me conheces
Sempre aquela queda para a tristeza
Mas tenho a certeza
que é como dizes
que vamos subindo degraus

Esqueceremos momentos maus
Nós com palavras conseguimos tudo!
Falaremos sempre do que quisermos
Ainda que o Mundo seja surdo.

E tu minha amiga
Sempre de palavra generosa
deito-te o beijinho

Amiga Rosa
(natalia)

Não quero saber-te triste.



rosafogo a 19 de Setembro de 2009 às 15:42

Querida amiga

Eu não estou triste, mas desiludida
tudo passa rápido,
rápido demais
para meu contento.

A melancolia,
é "Um Estado de Alma"
é nostalgia,
mas também é magia.

Aproveitemos o lado bom
Deitemos fora o lado mau
E continuemos dissertando
por aqui e por ali

E um dia,
sem nos apercebermos
chegámos ao lugar certo
no tempo certo,
com magia
ou sem magia
ali estamos nós
olhando o outro espaço,

Deserto de sensações
ilusões e de tudo
quanto encontrámos
e perdemos,
no caminhar da estrada
solitária e assombrada.

Mas chega a luz
e tudo se transforma
em apoteose de amor,

Mas por detrás,
sempre predomina
o nosso ser nostálgico
que é o nosso canto
de poesia brando
languescente
a chamar por nós
e a dizer:

- Eu estou aqui,
faço parte de ti!

Bonito? Eu gosto de escrever assim, por vezes, nem sempre!


Com ternura,

Maria luísa

Bonito?Perguntas!
Belo digo eu!
pena ficar aqui
sózinho
algum dia o vou postar
aos amigos todos, mostrar
como é belo o que escreves
amiga.
Exactamente como dizes
A nostalgia está em nós
no esconderijo da nossa alma
que os outros não entendem
pensam ser loucura
porque conseguimos ver,
chegar com doçura
e encantar.
Porque no fundo aqueles que
fingem não gostar
não tem a franqueza
de dizer que o que escrevemos
é fonte de beleza.

Amiga isto é loucura, será?!

Lindo é o que escreves
eu sou apenas aprendiza
mas faço com amor.

Beijinho Mª Luísa

Obrigado pela tua amizade.
rosafogo a 19 de Setembro de 2009 às 22:22

Não é loucura!
É um "Estado de Alma" muito forte, angustiante e doloroso, por vezes.

Mas a poesia o vai banir, para um lugar distante...

O poeta é nostálgico e brando,
É essa a sua sensatez
chamada de loucura
no dizer do Mundo!

Mas vamos esquecer
Continuar
Não contar
E amar!

E afinal, é um bom destino!

Quando quiseres pegar nos meus comentários melhores, os podes apresentar.
Trabalha em uníssono comigo, se o quiseres!

Beijos grandes,

Mª. Luísa
M.Luísa Adães a 20 de Setembro de 2009 às 10:12

Ataum Vocemessêi teve aqui na terra do kêju com buracos e nam me veio visitariiii? tàbeim, olha, ser?a para proxima, nam fico xateado nam Senhoriiii.

O poema....prefiro não comentar, a beleza de sentimentos é tamanha que qualquer palavra que eu podesse comentar seria sempre pouco para descrever a sua beleza.


Imagino que ainda não tenho a tua idade Natália, não saberei como será a minha maneira de pensar daqui até lá, mas agora com uma idade dentro dos "entas", penso firmamente que nem chegue aos 100 anos, sentirme-ei sempre um jovem, usado por fora, mas por dentro eu serei sempre, mas mesmo sempre jovem, é uma xaparrice talvez IoI, ou uma maneira de viver melhor.



Bêjuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu
*FreeStyle* a 18 de Setembro de 2009 às 12:39

Olá Querido amigo

Então já sei que foi uma festa de arromba, conseguiste juntar outra vez todos os
amigos, parabéns.
Esta ída à Suiça já foi no ínicio do ano, já la voltava de novo o pior é o mais mau, mas até tenho casa
é um sítio onde posso ir com relativa facilidade. Aí ao teu Alentejo também gosto muito de ir, ainda ontem fui
lanchar a Arraiolos, e há uma semana atrás fui até às Espanhas e passei por Moura, Mértola etc. E também havia um
queijo, hum sem buracos e um salpicão?!

Pois é amigo, tristezas não pagam dívidas e lá vou ora chorando na poesia ora sorrindo à Vida.

Beijinho, FREE obrigado p'la simpatia e amizade
natalia
rosafogo a 19 de Setembro de 2009 às 15:49

Ola Rosafogo!
As fotos da Suiça são magnificas.Já estive em França,mas na Suiça ainda não.Deve ser lindo e coberto de neve,ainda mais.150km de Milão,tao pertinho,e foi até lá?conte tudo.
Ah,antes que me esqueça,que tonta que sou: sou a Lena, recente membro do Clube das Mulheres Beiras.Dê lá um saltinho quando tiver um tempinho.Falamos lá de uma senhora artesã de Idanha-a-Nova.Conhece Idanha?
Jocas gordas

Lena

www.aldeiadaminhavida.blogspot.com
lena a 18 de Setembro de 2009 às 14:35

Esta menina, já me tinha sido apresentada pela Susaninha, de modo que ao ler, vi logo de quem se tratava.
Gente beirã, gente boa , acolhedora, gentil, já tenho a prova disto que acabo de dizer.
Pois minha querida Lena, já fui visitar aldeiadaminhavida e deixei o meu comentário, agora está mais fácil,
porque anteriormente era levada a desistir, também porque estas coisas às vezes para mim se tornam um pouco complicadas.
Grata p'la visita e pela simpatia, peço desculpa de só hoje responder.
Já me esquecia de lhe contar sobre a viagem que não é recente, penso que foi em Abril, pois fui com o meu genro italiano e a minha filha mais nova para casa da mãe em Milão, daí passados alguns dias, fomos aos anos dum irmão que fazia cincoenta e vive na Suiça, tendo a feliz ideia de fazer a festa numa montanha nevada com um belíssimo lago ao fundo,
aí dormimos uma noite numa pousada e ao amanhecer dei com uma beleza nunca vista e tirei lindas fotos.

Beijinho carinhoso

natalia


rosafogo a 19 de Setembro de 2009 às 15:58

http://nespresso.blogs.sapo.pt/

Chora linda,deixa essa ansiedade sair e depois vai de novo à serra e olha em teu redor. Eu estou algures na paisagem a soprar-te um beijinho e a sorrir com a certeza que esses medos não serão mais fortes que tu.
Mónica a 18 de Setembro de 2009 às 22:45

A esta menina de quem já tinha saudades confesso dos bons tempos do dancing, quero agradecer o beijinho que chegou até mim numa aragem, quando jardinava. Amiga faz bem chorar deixar sair a nostalgia e depois sorrir. Eu sou como o tempo, faço várias caras e é esse tempo o culpado destas coisas acontecerem comigo.
Mas hoje estou alegre, com tantos amigos aqui no meu espaço.

Deixo-te aqui também um beijinho com a promessa duma visita breve.

natalia (rosa)
rosafogo a 19 de Setembro de 2009 às 16:04

Olá, Natália!

Belas fotos de um tempo de Outono-Inverno que está próximo de nós, ainda que as fotos sejam dessa maravilhosa Suíça.
Mia uma vez a sua ansiedade a ditar-lhe mais um poema, poema de novo repassado de tristeza, de nostalgia da juventude, qual pátria perdida lá muito longe, o coração, Natália, como que a sangrar-lhe de desespero por sentir que não mais a terá, por isso afundando-se mais em si e auto-analisando suas íntimas vibrações, seu mundo interior, onde também há neve e frio, onde o coração parece ter sido traído pela vida ... Mas, Natália, não deserte da vida, como sugere no poema, pois a vida ainda tem, apesar da sua (ou da nossa) idade, bons jardins, paisagens belas, alegrias, amizades, sonhos animadores, inspiração poética que alimenta o espírito ...

Um abraço.
Mírtilo
Mírtilo MR a 19 de Setembro de 2009 às 00:28

Era para postar as que tirei aí na sua vila, mas estou na aldeia e não as tinha colocadas de modo a poder fazê-lo.
Sabe amigo Mírtilo, estou sempre dependente do neto, não é que não aprenda ainda com facilidade, mas ele é tão rápido
que não me dá hipótese e como sempre leva um dinheirito para o cinema quando me ajuda nestes meus afazeres, não está muito interessado que eu saiba tudo, isto é o que eu penso, mas ele se calhar não gostava de saber disto.

É dessa inspiração que o amigo fala, que eu vivo e da qual retiro muita ajuda e prazer para viver, gosto da escrita
embora a eterna queda para a melancolia.

Foi bom ter vindo ao blog e dar com tantos amigos, assim conversei com todos um pouquinho fico bem.
Passei o dia a jardinar, que o jardim sem amor, também não tem beleza, agora sim tudo tratado, as flores que restam
estão mais vivas.

E é tudo, agradeço imenso a sua vinda e deixo meu beijo amigo
natália
rosafogo a 19 de Setembro de 2009 às 16:13

rosafogo

Sentes-te triste ou já passou? Que pensas de mim? Que sentes quando te escrevo?

Não gostaste do que disse algures?
Não gostaste?

Deixaste de gostar de mim?
Sê justa! Te peço.
Sê justa!

E esquece o que te não pertence
E volta sempre, sem medo
Eu continuo contigo!

E nada te peço!

Sorri
Um sorriso do teu jardim,
mas não esqueças nunca
meu modo de dizer!

Não te percas,
No mundo que não é teu
E não me esqueças,
Para que não tenhas
De te arrepender...

Com ternura,

Maria Luísa
M.Luísa Adães a 19 de Setembro de 2009 às 11:05

Mª Luísa

Estou contente, não triste
E penso que és minha amiga
de verdade!

Triste não queres que siga
E eu triste não te quero sentir
porque também sou tua amiga.

Eu creio que há alguma coisa a magoar-te
Mas também acredito que dás a volta
Solta a tristeza, deixa-a à solta

Há tanta gente invejosa
porque lhes dás ouvidos?

Queres saber o que eu penso?
Que és generosa
Amiga,
E eu estou sempre
contigo e com os amigos
que aqui encontrei

Breve vou visitar-te e quero encontrar-te como era hábito
com coisas belas como tu tão bem sabes dizer e partilhar.

beijinho amiga, bom fim de semana
fica com Deus

natalia
rosafogo a 19 de Setembro de 2009 às 16:21


Escrevo sim quando o poema "Amar" e a sua linda imagem brilhar

por todo o lugar onde o possa levar e apresentar.

Magoada - eu estou !

Mas vai passar rápido, muito célere, o mais possível.

E depois eu volto! Prometo!

Até logo,

maria Luísa

Volta sim depressa, que nós teus amigos te esperamos com ansiedade, como tu bem percebes.
Quando falta um de nós por uns dias, dás por isso?! Como queres que passemos sem ti?
Deixa a mágoa, esquece, tens a alma grande, amanhã é outro dia.

beijinho sempre amigo
natalia
rosafogo a 19 de Setembro de 2009 às 22:26

Obrigada,Natalia.E que bom,essa viagem pareceu-me fantástica.Acordar de manhã e ver as coisas bonitas,nem que sejam pequenas alegram-nos o dia.Eu gosto de dormir e acordar com a claridade da manhã com o sol a dizer bomdia :) Em Lisboa,quando estudava lá,morava no alto de Alcântara e dava para acordar com o sol a reflectir sobre o Tejo e a ponte 25 de Abril.Lindo,lindo!
Outra coisa boa é ter um genro italiano,assim teve a oportunidade de ir a Itália.Ai pizzas, ai pastas...nunca fui a Itália,mas sou fã da gastronomia.
Espero que o Outono nao a desanime e pelo contrário sejam só alegrias.O Outono é um verão primaveril :)
Jocas gordas
Lena
lena a 19 de Setembro de 2009 às 19:16


mais sobre mim
Setembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
9
10
11

13
14
15
16
18

20
21
22
23
24
25
26

27
28
30


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro