Terça-feira, 29 de Setembro, 2009

 

 

Hoje tenho que pôr as fotos que me restam e que não têm a ver com a poesia nem com

o que vou contar-vos, mas para não parecer um deserto, deixo os anjos aqui descansando,

por sinal, um também tem vontade de vos escrever, É que nem sequer os consegui pôr de pé, tirei estas fotos em Praga e não sei porque ficaram assim deitadas, não há dúvida que é defeito da fotógrafa.

 

Bem , há algum tempo que não venho postar, o tempo também não tem sido muito,

e ando muito desgostosa, pois me desapareceu o meu Jimy , para os amigos a quém nunca dele falei, direi que era um gato que tinha há dois anos e que era como uma criança,

dócil, meigo, brincalhão, amigo  de se meter dentro de tudo quanto era saco, mala de viagem, e que agora alguém levou dentro de algum saco, pois já fez 11 dias que desapareceu aqui do portão da casa e nunca mais deu sinal. É triste, pois tanto carinho lhe

demos, e agora nada sabemos e claro sentimos-lhe a falta.

 

Esta poesia que vou deixar, é um pouco triste e fala da minha terra.

 

Hoje nada tem harmonia, nem as fotos, nem a conversa e nem por fim a poesia, mas

Como vou estar ainda esta semana aqui na aldeia pouco mais posso fazer, porque ainda

estou muito crua neste mexer, neste ir buscar, tirar daqui, pôr dali., estou sempre precisando de ajuda.

 

 

SAUDADE

 

Há nos meus versos saudade

Poeira no meu olhar

E eu sinto  em profundidade

A ferida que não quer sarar.

Passa o vento p'los figueirais

Chuva miúda, terra molhada

Já se foram os demais!

Gastos! P'la caminhada.

 

Meu coração é quem  escreve

No teu chão ainda pisado

Que a terra lhes seja leve!

A tantos que hei  amado...

Minhas palavras gastas estão

São já  acessos de melancolia

Sempre  leio na minha mão!?

Que um dia voltarei a ti. Um dia!

 

 

 

 

sinto-me: instável
publicado por rosafogo às 20:05

Natália:

Que esteja a melhorar o seu estado de espírito, que a tristeza não a tome mais, não a faça mais vítima, e que uma estrela de alegria ou de calma a ilumine ao menos um pouco.
Quanto ao desaparecimento do seu gato Jimy, lamento o acontecido, pois sei o que é ter afeição a um animal, dado que neste momento continuo a ter um cão, há treze anos. Poderá ser que ele ainda apareça, pois às vezes eles, na altura do cio das gatas, vão dar as suas voltas, regressando depois. Tenha alguma esperança, ao menos.
Quanto ao poema, como sempre há no seu coração saudade, melancolia, amor à terra ... É mais uma vez o seu coração que escreve o poema.
Quando publica as fotos que tirou na minha terra, Mértola? Gostaria de as ver. Talvez eu tenha algum soneto que lhes corresponda, pois tenho sonetos sobre quase tudo o que há ou houve na minha terra, mais sobre o que houve, pois tenho poetizado sobretudo o passado, os meus tempos de criança e adolescente.

Felicidade para si e um beijo amistoso.
Mírtilo
Mírtilo MR a 29 de Setembro de 2009 às 23:14

Assim é amigo Mirtilo, quando temos que passar pelas coisas que nos desgostam nda há a fazer. O que pode parecer
pouco mais que nada para alguns, para outros é um acoisa enorme. E para nós aqui emcasa foi um desgodto grande a perda do do bichinho , que era uma ternura e a quem dávamos muito carinho. Penso que foi mesmo roubado, porque
não apareceu, a aldeia é pequena e todos souberam do acontecimento.
Depois deste meu desabafo, quero agradecer-lhe as palavras e a visita, que sempre me lisonjeia e fico feliz na sua leitura.

Pode aguardar amigo, que as fotos não estão esquecidas e estão lindas, quando chegar a Lisboa, já as colocarei, e
tenho a certeza que terá belos poemas, não duvido, até lhe digo que a poesia nostálgica sobre o passado e as coisas
que nos rodearam ou aconteceram, é sempre a mais bela.

Obrigado, querido amigo
deixo meu beijo de amizade
natalia.
rosafogo a 1 de Outubro de 2009 às 21:00

Olá Natália...

Ouvi dizer que os gatos sempre voltam onde foram bem tratados e onde viveram, duvido que o tenhas tratado mal, logo....deve ter sido alguem que o roubou mesmo!!!!!! ou será que se lhe acabaram as vidas?.

Qto ao poema, que dizer? é sempre sublime o que escreves.


Bêjuuuuuuuuuuuu
*FreeStyle* a 30 de Setembro de 2009 às 06:59

Olá FRRE

Olha amigo, tratei muito bem, como se fosse uma criança podes crer, por isso esta mágoa que tenho de o ter perdido.
Mas a vida continua, eu penso que me o roubaram sim, porque se deixava apanhar.

Então e tu estás bem? Tenho que vos visitar, tenho andado murcha, sem muita genica, mas vou recomeçar.

Foste simpático como sempre e não me esqueceste, obrigado.

Beijinho da amiga
natalia
rosafogo a 1 de Outubro de 2009 às 21:03

Olá Natália!
Não lhe tenho falado por falta de tempo. De vez em quando vinha espreitar e estava admirada por não ser costume estar tantos dias sem postar. Mas deduzi que tem estado na terra. Quanto ao Jimy , é uma pena quando perdemos os animais, eles fazem parte da família. Contudo, é verdade que têm uma memória fantástica e memorizam os caminhos de regresso a casa, mesmo quando levados para muito longe. Se foi esse o caso talvez regresse!
O poema de hoje é muito LINDO!!!. Triste sim, mas com imagens muito poéticas, duma grande leveza , sentidas e muito, muito bonitas!
Um beijinho grande e amigo.
Maria de Jesus a 30 de Setembro de 2009 às 08:47

Olá Maria de Jesus

Há quanto tempo, será que nos veremos brevemente? Eu queria muito ir ao passeio, mas ainda estou na aldeia e só
parto no domingo.
Vou tentar na segunda me inscrever no passeio de quarta.
Quanto ao gato, perdi-o mesmo, aqui ele só comhecia o nosso espaço, saíu ao portão e apanharam-no, ainda
não consegui ultrapassar e é bem chato isto.
O poema é simples acho eu, mas fala das minhas raízes e é profundo.
Obrigado pela sua presença amiga.Espero que com a Mde Jesus tudo esteja bem.

beijinho
natália
rosafogo a 1 de Outubro de 2009 às 21:08

OI Natalia. Não sei se já dei a minha opinião sobre a poesia. Mas é assim: não perco o meu tempo a ler, se eu poder ouvir recitar uma poesia bonita, a puxar ao choradinho, por um/a bom/a recitador até gosto se o lugar for apropriado. Tipo ambiente de fado. Mas gostei da descrição sobre o Anjo, e quem sabe ele estava cheio de sono? Também gostei da poesia, por ser caseira, talvez. Parabéns e um abraço sulitario.
Sulitário a 30 de Setembro de 2009 às 11:37

Meu amigo
Estou em dívida para consigo, pois que ainda não respondi ao comentário anterior, mas hoje quero deixar claro
que lhe agradeço as palavras que me tem deixado, crinhosas, amigas e que eu recebo com o mesmo carinho.
Até que me parece que o amigo é sensível, alguma coisa me diz que mais tarde ou mais cedo acaba por gostar também de poesia.

A mim que escrevo o que o amigo vê sem pretensões, também nem toda me agrada, apenas a que é escrita com a alma
até pode ter palavras bonitas, ser muito bem construída, mas se pouco entender, não me atrai.

Volte sempre que queira, pode ver as fotos, porque eu meu amigo passeio bastante é uma outra coisa que me dá imenso prazer, ou então ouvir a minha música, que todos acham ser calma.

abraço
natalia
rosafogo a 1 de Outubro de 2009 às 21:15

OI Orquídia negra. Por favor não me fale em atrasos, que me fás sentir mal. Eu só tenho o fim de semana e não é sempre. Quanto à poesia: eu gosto, mas é de ouvir declamar, como já disse. Mas ler para mim é uma maçada, respeito todas as correntes, e não penso que a poesia seja má, apenas eu não sou fã. Obrigado por me dizer que posso ver as fotos, isso já é uma coisa que eu gosto. E gosto de ler uma história, um conto, o meu tipo de livro, favorito é o policial. Um bom fim de semana. Um abraço sulitario.
Sulitário a 2 de Outubro de 2009 às 15:27

Olá Natália!
Passei para ver o que há de novo e gostei do que li. Beijos! António
cateespero a 30 de Setembro de 2009 às 18:50

Amigo António,
Como sempre gentil, agradeço sua passagem,

Bom fim de semana e obrigado pela visita

Beijo
natália
rosafogo a 3 de Outubro de 2009 às 00:56

Natália! A saudade se sente no olhar, no pensamento e até na pele onde as carícias ficaram um dia,assim vejo eu a saudade.
Gostei de ler tudo isto,beijinho com amizade Lisa
maripossa a 1 de Outubro de 2009 às 00:36

Oi querida Lisa

Então como estás?!
Também já tenho saudades tuas e vou visitar a todos devagarinho, mas irei.
A saudade, sente-se a todo o momento, faz parte do nosso pensar, e então
da terra que me viu nascer, nem queiras saber, indo lá de quando em quando
a saudade ainda mais se entranha.

beijinho querida amiga
Obrigado por teres vindo.
natalia
rosafogo a 1 de Outubro de 2009 às 21:18

Natália. O faço com alegria e amizade, ao som desta melodia os meus sentimentos descansam . Num leve esvoaçar de saudades, que as tenho igual de muita coisa que vamos perdendo ao longo da vida, mas estamos vivos e com esperança para continuar, a amar e sonhar sempre.
Beijinho de luz e amizade Lisa
maripossa a 1 de Outubro de 2009 às 22:16

Natália,

Que saudade que sobe das palavras!
Figueirais... figueirais... A emoção chegou e eu vou-me embora!
Sei do que falas, conheço o que dizes, o odor da terra é o mesmo...

Obrigado!

PC
Paulo César a 1 de Outubro de 2009 às 08:53

É exactamente o mesmo sim, sabes sempre que lá vou me apetece, escrever alguma coisa sobre o último olhar que
lhe deito. Mas às vezes sinto tanta coisa mudada, me olham como se fosse estranha e isso me incomoda.
Foram tantos anos fora, já só os mais velhos me saúdam com alegria, dos mais novos apenas a curiosidade
daquela que faz versos para o jornal.

É assim amigo, é como tu dizes só quem lá nasceu e cresceu, sabe ou sente aquilo que nós sentimos.

Grata fico eu com a tua presença amiga

beijo
natália
rosafogo a 1 de Outubro de 2009 às 21:23

Natalia

Sei que estás a sofrer, gostava de ajudar no meu dizer,

Conheço minhas limitações como ser humano que sou

e pouco posso dar na distância em que estou.

Que fazer? Tomar meu lugar na roda de amigos?

Não o devo fazer...

Fico só, no mistério das sombras
Olhando o vácuo que se fez
A deixar-me mais só,

Do que me sinto
Neste momento a esquecer!...

Te deixo minha lembrança e meu desejo de dias melhores. Lindo Poema! Linda lembrança de teus dias!

Maria Luísa
M.Luísa Adães a 1 de Outubro de 2009 às 10:38

Minha boa amiga MªLuísa

Tens-me ajudado com as tuas palavras
sempre amigas e é contigo que mais desabafei
pois que nem todos compreendem como podemos estar
agarrados à afeição dum animal.
Infelizmente perdi-o mesmo.

Não quero, nem pensar que
estás triste, ou só
Somos tantos que te visitam
tens comentários lindos à tua também linda poesia
Espero que não estejas a passar algum mau momento.

Eu vou ter que ultrapassar tudo isto que aconteceu
e voltar ao controle da minha vida

Fico-te muito agradecida pelos teus cuidados
e pelo empenho em me ajudares, tenho lido
com muito carinho o que me deixas.

Beijinho com muita amizade
natália
rosafogo a 1 de Outubro de 2009 às 21:33

Lamento muito, o não aparecimento do gatinho.

Acho estranho o terem roubado, só se foi por maldade e o abandonaram noutra aldeia.
Na maldade do ser humano acredito e faz-me medo.

Talvez. através do faro, ele caminhe e regresse; já tem acontecido, pode demorar um mês
por exemplo...

Não acredito que o tenham levado por bem, mas por maldade!

É um trauma, mas tens de ultrapassar, tu sabes, não estou a dizer nada de novo.

Eu estou bem! Já passou e espero por ti no meu poema "É mais Fácil".

Não te preocupes com o Fisga, apareceu no Netblogs a adicionar-me como amigo.
mas eu não gosto da Netblogs e fui lá parar, através de uma pessoa que nada sabia de mim, apenas o email, o resto
inventou e eu não sei anular o que ele escreveu.

Eu escrevo no Sapo e algumas coisas no Google, onde tenho um blogs http://os7degraus.blogspot.com.

Não entro em qualquer outra coisa, na Net - não quero! Quem quiser escrever-me escreva no Sapo (de preferência)
ou no Google.

A Netblogs não foi aberta por mim, mas por uma pessoa que se deitou a adivinhar a minha vida. Acho estranho que o
Fisga, vá aparecer num lugar que nada tem a haver comigo.
Mas deixei de o entender! Assunto arrumado!

Continuo a dizer, espero por ti!

Beijos,

Maria Luísa

Olá amiga Natália,
Mesmo na tua desarmonia, há harmonia...É algo que parece emanar de ti, nas tuas palavras, nos teus sentires. É muito bom te ler...

Beijos
Emanuela a 4 de Outubro de 2009 às 04:03

Olá Natália!
Vim fazer uma visitinha e fiquei surpreendido por não ver nada de novo... Está tudo bem? Tenha um bom Domingo e Feriado! Saúde! Beijos! António
cateespero a 4 de Outubro de 2009 às 10:37


mais sobre mim
Setembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
9
10
11

13
14
15
16
18

20
21
22
23
24
25
26

27
28
30


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro