Sábado, 18 de Setembro, 2010

 

FALO DE COISAS SIMPLES

Minha memória é livre
Recordar depende dela não de mim
E é nesta liberdade
Que despertam recordações sem fim.
Surgem sempre trazendo saudade
Repetem-se sem aviso,
até à exaustão.
E sempre que é preciso
Surge lembrança que parecia enterrada,
na raiva dum grito, calada.
E é maior a solidão!

Um rumor já ouvido
Um odor já respirado
E nem o coração ouve o pedido
Do meu espírito cansado.

Trepa o sol pela parede
Sonho eu com a idade dourada
Assim mato minha sede
A dormir ou acordada.
Falo de coisas simples...
Das aves que sempre regressam do mar
Trago os olhos cheios de poesia
E nesta noite escura sem luar!?
Ergo a voz a um novo dia.

Falo das rãs que coaxam canções de amor
Dos pássaros soltando trinados
E se a lembrança me causa dor?!
Ficam meus sonhos desarvorados.

Vivo ao sabor da corrente
Já não me imponho à maré
Nascida dum pobre ventre
Dele mesmo trouxe fé.
Sou flor da maresia
Meu nome é rosmaninho
Cresço de noite e de dia
Meu destino é este caminho.

rosafogo

publicado por rosafogo às 17:11

Olá Rosa:
Bonito poema.
Bom vê-la novamente inspirada.
As viagens têm corrido bem?
Marta M
Marta M a 18 de Setembro de 2010 às 22:11

Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado um pouco afastada,
porque o tempo não é muito e o Lusopoemas me levava o tempo todo, agora
resolvi descanssar um pouco.
Adorei encontrar palavras tuas, obrigada por não me esqueceres.

Beijinhos.
rosafogo a 3 de Outubro de 2010 às 15:20

Querida Nat,

A grandeza das coisas simples, que nunca morrem na memória e menos ainda no coração. E já não são saudades, não! São fios invisiveis que nos prendem intensa e desmesuradamente o espírito e a razão!

Belo é, no mínimo, o apelido... Que nome lhe darei? Não tenho palavras!

Obrigado por mais este "voo" para lá do nunca. Chegaram-me os odores fortes das coisas que amamamos e ficam sempre longe demais.

Beijo.
PC
Paulo César a 19 de Setembro de 2010 às 17:04

Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.
Tento estar em todo o lado mas é complicado, no entanto também gosto de postar aqui, vou ver se consigo com mais frequência.
Este poema é a saudade a falar mais alto como sempre, obrigada pelo apreço.

beijo da
natalia
rosafogo a 3 de Outubro de 2010 às 15:23

Sentir-te por aqui é uma alegria imensa!
Depois ao ler-te, fica minha alma entrelaçada na ternura de uma saudade que sempre referes na poesia e na sensação de ter asas (sempre que te leio)!
Tão simples é a poesia...sentida! Grata!

Um beijo
Utopia das Palavras a 21 de Setembro de 2010 às 20:00

Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ausenda, obrigada por me
deixares uma palavrinha amiga, tenho saudades tuas também, e de ler tua
poesia, pois tenho andado um pouco afastada confesso, aquele Luso levava-me o tempo todo, mas agora resolvi fazer um interregno, pois cansei.
Minha querida amiga, um beijinho grande.

rosafogo (natalia)
rosafogo a 3 de Outubro de 2010 às 15:27

Olá, Natália! Há séculos que nos não encontrávamos por aí! O teu blog está com um belo visual e tu estás lindamente na fotografia. Coisas simples... e muito bonitas!
Abraço grande!
poetaporkedeusker a 28 de Setembro de 2010 às 15:29

Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria qu o tempo desse para mais, pelo menos para aquilo em que me meto, mas não sou como tu organizada, e me perco. Mas te agradeço minha inesquecível amiga, o teres vindo por aqui, obrigado és uma querida.

beijinhos
rosafogo a 3 de Outubro de 2010 às 15:29

Também me perco imenso, Natália. Não penses que és só tu... e não sou mesmo nada organizada, sabes? Devias ver-me a escrever... perco sonetos, às vezes, minutos depois de os escrever... outras, esqueço-me de os guardar e lá vão eles...
Abraço gde!

É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difícil estar em todo o lado,
mas ganho raízes que é como quem diz amigos e me custa deixá-los, então
vou andando um pouquinho em todo o lado, nem queiras saber quantas páginas, quantos sites, acho que se mais houvesse lá estaria a rosafogo,
a rosabrava, a natalia nuno, etc. Obrigada Maria João pelo carinho e amizade, também gosto muito de ti.
beijinho.
rosafogo a 6 de Outubro de 2010 às 00:12

Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois de visitar um site, ficamos sempre um bocadinho presas a ele e, depois, desesperamos porque queremos estar em toda a parte ao mesmo tempo... e claro que não conseguimos! Eu, hoje, nem soneto tenho... estou com cólicas e a inspiração parece mesmo incompatível com elas :)) Pode ser que ainda nasça algum, mas duvido...
Beijinhos!

Parabens pelo post. Falar de coisas simples por vezes não é nada simples.
Directório de sites a 16 de Março de 2011 às 17:06

Olá!
Vim apenas fazer um teste, para ver se conseguia publicar comentários.
Parece que resulta.
Beijo.
PC
Paulo César a 11 de Novembro de 2011 às 15:21

Queria amiga Poetisa Rosafogo,

Que das coisas simples nasçam as melhores poesias. As melhores mensagens de luz e esperança. Que as palavras sigam ao vento levando aos quatro ventos a melhor poesia.
Com muita honra e alegria postarei a indicação de seu blogger,
Abraços poéticos,
Armando [Aquino] Luso Poemas
Armando Oshiro a 9 de Julho de 2013 às 01:44


mais sobre mim
Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
16
17

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro