Quinta-feira, 04 de Dezembro, 2008

Querer parar o tempo é sonhar,é desejar o impossível, é pedir a um rio que suba a corrente.

Deste destino que recebemos, é obstinação querer lhe fugir.

 

Dias sem tréguas

 

Naufragam os meus dias em tempestade

Sobrevivem  aos entraves da vida

Ironia do destino, todos eles de ansiedade!

Solitários, melancólicos,nesta caminhada perdida.

Emaranhado de sentimentos, já sem voz

Longo é já o percurso, mitigo a solidão

O vazio das palavras,esta permanência atroz!

Dos dias sem tréguas, mergulhados de exaustão.

publicado por rosafogo às 18:24

mais sobre mim
Dezembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
5

8
10
12
13

14
15
16
17
19
20

21
22
24
25
26

28
31


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro

subscrever feeds