Sábado, 06 de Dezembro, 2008

Às vezes a memória, já distorce um pouco certas recordações, deixando sobre elas como

que um véu ou como um sedimento, que as torna um pouco confusas.Então tudo fica um

pouco misturado .Pomos a imaginação a funcionar e o resultado é quase sempre

que a recordação é aquilo que queríamos que fosse e não foi.Se calhar não me fiz entender

paciência....

 

 

Sonho

 

 

De repente, fico despida de vontade

Procuro nas palavras restos de mim

Outras vezes a Vida tem um sabor de verdade

Como eu queria, que fosse sempre assim!

 

Os ponteiros do tempo puder parar!

Não haver, nem antes nem depois

Às estrelas sorrisos arrancar!

Haver sempre uma criança em nós dois.

 

Assim, nesta monotonia dos dias

Nas quimeras que o tempo não apaga

Tomada de força, como que por magia.

 

De repente ser o teu licor mais doce

Uma mão que a outra mão afaga

E talvez que o sonho realidade fosse!?

 

 

 

publicado por rosafogo às 20:46

mais sobre mim
Dezembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
5

8
10
12
13

14
15
16
17
19
20

21
22
24
25
26

28
31


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro

subscrever feeds