Sábado, 17 de Janeiro, 2009

As palavras, são sem dúvida bálsamo, para acreditarmos e seguirmos em frente.

 

Hoje vou deixar uma poesia há muito escrita, mas que eu achava inacabada, porém ao

lê-la de novo creio que diz tudo, no fundo é um desabafo, talvez uma queixume.

 

Poema triste

 

Já de pranto molhado,

meu rosto eu quero esquecer

O ânimo tenho cansado

Deixo o espelho não quero ver!

Que espanto, com que desdém!

Ao meu rosto faço censura

No espelho?! Não vejo ninguém!

Onde havia Sol é noite escura.

 

Quero ficar de mim  esquecida

E  que ninguém tenha pena!

A vida pregou-me a partida

Seco as lágrimas, fico serena.

publicado por rosafogo às 21:41

Ainda cá voltei!
Sabe, também sou nostálgica no recordar do passado e não aceito bem o “desgaste” que o tempo me determinou. Contudo, penso que tais sentimentos têm a ver com a maneira de ser de cada um, não estando na nossa mão alterar isso. Um dia escrevi um poema sobre esse tema que lhe vou deixar registado.

Sentir os sentimentos

Alegria e tristeza, duas constantes da vida.
Se a primeira é ansiada, já a segunda, é temida.

A alegria é tão breve que se desfaz num momento?
A tristeza deixa marcas, prolonga-se em sofrimento?

E no decorrer duma vida, qual foi mais frequente?
- Varia com a pessoa, a forma como isso sente.

Naquela que vive a sorrir, tendo pronta a gargalhada.
Predomina a alegria, sendo a tristeza adiada.

A que com insegurança, caminha pela vida fora,
É propensa ao sofrimento e com frequência chora.

Tanto o bom como o mau, a qualquer pode atingir.
A grande diferença está, na forma de reagir?

Maria de Jesus Pinto
14 Janeiro de 2008





Juja a 19 de Janeiro de 2009 às 17:50

Que surpresa!
Adorei o seu poema, lindo , não faz ideia como gostei.
Concordo consigo, os temperamentos diferem muito , cada pessoa tem a sua maneira de reagir perante a Vida.
Eu como já se deve ter apercebido, tenho as duas vertentes em mim,ora sou alegre expansiva, ora sou nostálgica.
E na forma de escrever não poderia ser de forma alguma diferente, dado que é a noite que me faz o chamamento e é
então que a poesia me sai quase instantaneamente.E não sabe como me alivia o transpor no papel, geralmente ao som da música aquilo que me vai cá dentro.

Obrigado por comentar
A menina também tem muito para dar. Quem como eu adora ler, especialmente boa poesia fica sempre na esperança de
passar mais alguns momentos na sua companhia.

Um beijinho
Natalia

rosafogo a 19 de Janeiro de 2009 às 20:01


mais sobre mim
Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

2
3

4
7
8
9
10

11
12
15

18
19
20
22
23
24

27
28
30


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro