Terça-feira, 21 de Abril, 2009

Este mimo, foi-me  oferecido pelo amigo Emanuel, do blog AmadordoVerso, com a simpartia que lhe é habitual. O meu agradecimento ao Poeta.

 

Antes de falar sobra a comida polaca, tenho que dizer que hoje passei a tarde, tentando meter no perfil esta rosa tirada por mim e não consegui, porque era grande, então veio o

meu neto que em poucos minutos procurou na net uma rosa vermelha e substitui a outra

florinha que simpáticamente aqui permaneceu todo este tempo. Resolvi o problema, porque

queria de facto a rosa, mas minha, como são todas  as fotos do Blog. Adoro fotografar flores

e quando passeio, nenhuma me escapa.

 

 

Toda esta conversa, só para os meus amigos me dizerem que ficou mais bonito o Blog e

que as minhas folres são lindas.

 

Agora sim a comida ,durante uma semana, não comemos senão carne, porque peixe apenas havia arenque e salmão fumado que a nenhum de nós agradava. A comida é saborosa, temperada de molhos agridoce, as carnes são variadas e na generalidade são grelhadas, com  saladas.

O prato mais conhecido são os Bigos composto por couve cozida, cogumelos e carnes picadas, dentro dum pão grande ao qual retiram o miolo.

Servem sempre sopa .A  melhor era de cogumelos bravos com massa. A sobremesa

era sempre o apreciado bolo do Papa João XXIII chamado Kremóka  muito simples parecido com o nosso bolo de anos. A bebida cerveja, porque o vinho não  era bom.

Já me esquecia de dizer que o pato é muito apreciado assim como o joelho de porco ambos assados no forno, também têm uma morcela de sangue com arroz, que me fez lembrar as da minha aldeia. Depois de tudo isto e de tanto caminhar regressei com o mesmo peso.

Espero tenham gostado da ementa, para mim o melhor era o ambiente sempre alegre e florido dos restaurantes talvez porque era Páscoa e eles vivem-na intensamente.

 

 

O Segredo

 

 

A noite instala-se, o dia fica distante

A Vida apressa-se, longe vai o passado

Resta agora ,melancolia, zumbindo inquietante

Fica o olhar num vazio desesperado.

 

O que a solidão dos anos faz?!

Fica-se na procura do tudo e do nada

Um sono mal dormido e de sonhar incapaz

E fica no peito, uma dor danada.

É o peso da vida, as costas curvadas

E vai-se contando o tempo, todo ele idade

A memória não responde, respostas caladas

E tudo o que a Vida nos ofereceu é já saudade.

 

Mas eu sou forte, é esse o meu segredo

O tempo é já pequeno, e algures dentro de mim

Há uma criança que do escuro tem medo

Deixo a noite correr, lembro o começo esqueço o fim

Porque sou poeta, sou ave que renasce

Ora morro, ora vivo, é este o meu viver

E logo passa a noite e o dia faz-se

É este o meu jeito, enquanto Deus quiser.

 

sinto-me: alegre
publicado por rosafogo às 21:30

Olá cá estou de novo, sabe andei arrancando ervas, limpando as flkores, cheguei ontem á aldeia onde tenho mil e um flor principalmente rosas de todas as cores, lindas, mas dão trabalho sempre que aqui chego há muito que fazer.
Não desanimes, as coisas vão-se fazendo.Quando apanhar o meu neto a jeito, vou tentar que ele te explique como fez para mim, prometo.Eu trabalhava na Seg. Social no Areeiro na introdução de dados, mas o serviço era um pouco rotineiro e apenas de computadores sabíamos aquilo, a prática que tenho é de escrever depressa, ás vezes depressa demais que acabo falhando. Não tenho muita paciência para fazer rascunhos e passar para aqui, faço tudo de improviso, agora mesmo estou a falar contigo como se estivesse á tua beira.
Beijinho, aparece sempre que queiras, que eu sou muito conversadora.

Olha eu reformei-me com 56 anos, mas digo-te só tive essa benesse, porque durante os 38 que ali trabalhei, pouca sorte tive, pois tive anos de carreira estagnada, sem concursos, sem nada.

Olha minha amiga. Eu trabalhei na Avenida Almirante Reis, na fábrica de cervejas Portugália. depois em 1968, quando ela mudou para Vialonga mudei-me para lá. Eu era Electricista das máquinas de fabrico, de enchimento todas as máquinas e morava, no bairro das colónias, até vir para Vialonga. Como o mundo é pequeno, daqui a pouco ainda chegamos a concluir que morámos perto um do outro, porque eu não morei só no bairro das colónias, morei em mais lados. Morei no Bairro dos actores que fica ao areeiro. e em São Sebastião da Pedreira, Na venda Nova, Em Arroios. Sei lá as voltas que eu dei. Amiga obrigado pela oferta, do teu neto, mas sabes é como diz o ditado, burro velho não aprende Latim. Beijinho amigo. P. S. Olha amiga eu já lá andei a ver as tuas fotos, tens coisas muito bonitas e tudo muito bem organizadinho, eu tenho um hi5, mas eu não te posso dar o endereço. Porque eu próprio não o sei, tenho que entrar pelo meu Hotmail, senão, não entrose eu te conseguisse adicionar ao meu hi5 tu depois já podias lá entrar. Eu já tentei com este endereço que tu me deste, mas ou não dá ou eu não sei fazer, que é o mais certo. Beijinho.
Fisga a 24 de Abril de 2009 às 19:46


mais sobre mim
Abril 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
4

6
7
9
10
11

12
13
14
15
16
18

19
20
22
23
25

26
28
29
30


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro