Quarta-feira, 20 de Maio, 2009

A minha vida ilumina-se sempre que vou a Lourdes, a minha existência fica mais pacífica e vejo o Mundo um pouco melhor, com menos receio. Todavia nem tudo são rosas e a tranquilidade, a serenidade que ali procuro, vai-se esmaecendo no dia a dia. Por lá  ainda brilhava a neve nas montanhas, e fazia frio. A paisagem era magnífica, diáfona ,onde os nossos sentidos ficavam  emersos de vida e esquecidos do verdadeiro mundo triste, e aí sim ficamos em equilíbrio perfeito com a Natureza e em paz.

Nesta viagem cumpri mais um ano de promessa Nª. Srª vai-me concedendo o que lhe pedi e eu vou cumprindo o que prometi.Este ano fui numa excursão e tive a sorte de estar dois dias em Lourdes, pois assim consegui assistir á procissão das velas que para mim é algo de transcendente, que sempre me emociona, pela fé e respeito ali demonstrado por uma multidão em silêncio, apenas cantando e rezando quando é sua vez. Apesar de eu não ser pessoa de igreja, tenho muita fé, e sinto-me bem neste lugar, e lá pedi por todos os amigos

em especial os amigos virtuais, para que tenham saúde e paz assim como seus familiares.

Cheguei então depois de 18 horas de viagem e aqui estou a pôr a escrita em dia.

 

Hoje deixo uma poesia muito simples, feita aos pouquinhos ,escrita ás escuras no autocarro  na noite de viagem.

 

Minha Poesia

 

 

Minha poesia

Tão prenhe de utopia

Tão rumo á esperança

Mimada, como criança.

Desbrava caminhos

Vive de carinhos!

 

Sonha com as estrelas

Companheira, que abre portas e janelas

Deixa-se enfeitiçar pela amizade

Chora sentidamente de saudade

Dá abraços.É um ramo forte!

Fala da Vida e da Morte.

 

Minha poesia

Tão prenhe de utopia

Perde-se no vendaval da Vida

Impertinente, alegre, criança perdida

Sedenta de vontade

E sempre, sempre a falar de saudade!

 

Ri da ironia do destino

É minha conquista, meu machado

Minha pedra preciosa!

Feitiço, onde perco o tino

É um céu de estrelas bordado

É um jardim, duma só Rosa.

 

É  insensível á fadiga

Surge em revoadas de acaso

É louca, é triste é amiga

E me tira o chão, se lhe dou aso.

É feita de pequenos desvios

E tem uma força tamanha?!

Apesar de urdida de frágeis fios.

É alta que nem montanha.

 

 

 

Solicito a atenção dos meus amigos para a «DANÇA» que brevemente vai ser espectáculo

no BLOG do meu amigo Free. Fico grata pela vossa atenção, pois também vou colaborar e como tal ser uma das artistas convidadas.

 

http://free-stile.blogs.sapo/

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

sinto-me: Feliz
publicado por rosafogo às 19:25

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

2

4
5
7
8
9

10
11
13
14
15
16

17
18
19
21
22

24
25
27
29
30

31


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro

subscrever feeds