Terça-feira, 02 de Junho, 2009

Este mimo foi-me oferecido, pela amiga Maria João do Blog

POETAPORKEDEUSKER, é mesmo muito gentil, uma amiga de OURO.

 

Andava por aí a tentar ver alguns blogs da minha aldeia ou proximidades, querendo ver fotografias, mas não achei. Entretanto achei sim poesia muito boa, onde perdi parte da tarde rendida ao encanto das palavras.Não sei se mereço mas adicionei como amigo, pois dar-me-á pelo menos o prazer da leitura. Tenho pena de não ter fotos recentes da minha aldeia para poder concorrer a um desafio que se encontra no blog do meu amigo Carlos Alberto «umbreveolhar.» Seria óptimo concorrer com uma poesia, áquela bonita aldeia das LAPAS.

 

 

Para que quero ser?

 

 

Para que quero  ser?

Aquilo que já não sou?!

Se sou apenas o resto, por acontecer!

A cinza, o silêncio, a  que a Vida me votou.

Seca a memória há muito vencida

Vou apenas adiando a Vida!

Esperança?! Soltei da mão!

Mão vazia, onde só cabe a solidão.

 

Os sonhos há  muito perdi!

A vontade onde está, que não a senti.

Já não sou eu!

Sou só o passado, que me aconteceu!

Sou o peito, onde já não bate nada!

Sou a morte, mil vezes adiada!

Existo, como uma lágrima teimosa

Existo com espinhos como qualquer  rosa

Mas na Vida sou já Outono, que não se detém

Cumpro a sina, que não quiz mais ninguém!

 

Sou a história, na qual mil vezes tropeço

Nada sou, já mal me conheço.

Serão sinais de loucura?!

Ou saudades do meu Eu, na lonjura?!.

Para que  quero  ser?!

Aquilo que já não sou?

Se sou apenas o resto por acontecer!

A cinza e o silêncio, a  que a Vida me votou.

 

 

 

 

sinto-me: Amarga
publicado por rosafogo às 18:33

Olha amiguinha Natália: Eu acho que já comentei e adicionei este poema que é lindo Mas na dúvida vou comentar de novo. É só dizer-te que adorei e está muito a tocar o sentimental, daquilo que é a tua própria vida. É maravilhoso. Um beijinho E tudo de bom Para ti, Eduardo.
Fisga a 4 de Junho de 2009 às 17:02

Que lindo, meu amigo, como sabes apreciar as palavras que eu escrevo e sinto naqueles momentos em que a vida pouca alegria me dá. Mas o meu lado triste é assim e a minha poesia vai ser sempre assim. Por outro lado há a parte boa as horas mais risonhas que no prato da balança ficam sempre um , pouquinho aquém, mas também sou divertida tal como tu.
És bem simpático, obrigado por mr levares lá para os teus favoritos.
Já tinhas comentado, mas e então que mal faz?! Eu já estranho é quando tu só não vens cá mais vezes.

Gosto sempre de falar contigo
Um abraço
Tua amiga Natalia

Amigo
Não ligues á estrelaemo, coisas da minha neta, que andou para aqui a criar um blog e eu não sei como fiz, mas saíu
com a resposta ao teu comentário com o nome do blog da miúda.
Desculpa, não te assustes que eu sou a mesma.
Beijinho
rosafogo a 4 de Junho de 2009 às 23:49


mais sobre mim
Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
3
4
6

7
9
10
12

14
16
17
18
20

22
23
24
26

28
29
30


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro