Domingo, 19 de Julho, 2009

 

Foto tirada no Quénia

 

Depois de muito pensar, só  encontrei esta solução, ou seja, queria muito postar um slide com fotografias desta minha última viagem, fazer o slide eu sei, mas colocá-lo aqui ainda não aprendi, de forma que, enquanto um neto não chega para me ajudar, vou deixar  um poema que fiz  há  já algum tempo atrás e que por sinal, não é triste...até que enfim dirão os amigos!

Queria também dar um abraço a todos, uma vez que estou de volta.

Uma eternidade este tempo que estive ausente, mas que me soube muito bem.

 

 

 

A VIDA É CHEIA DE SURPRESAS

Ao visitar a amiga Utopia das Palavras, fiquei a saber que no dia 25

de Julho às 19,30 no Café In da Av. Brasília, Pavilhão Nascente nº 311 em LISBOA, será feito o lançamento de «Entre o Sono e o Sonho» Antologia de Poesia Contemporânea volume II, uma obra do Portal de Lisboa, com edição da Chiado Editora.

 

Como dela faço parte com dois poemas, sinto-me orgulhosa e gostaria de partilhar esta alegria com os amigos, por isso aqui fica a notícia.

 

 

(para ser franca sinto-me como um passarinho, que voa a primeira vez, ou seja sem jeito,

mas como ele feliz, por conseguir o meu intento)

 

 

AO AMOR

 

 

 

Hoje, tempo ao tempo vou dar

Vou colocar castiçais e rosas na mesa

Num ímpeto de felicidade quero conservar

O Amor, na esperança  de que não perca beleza.

Vou pôr um sorriso no meu semblante

De felicidade  deixar uma lágrima rolar

E num momento mágico, ser mulher e amante

E deste sonho não vou querer acordar!

 

Hoje, tempo ao tempo vou dar

Vou deixar vibrar alto o meu Amor

Quero sentir  ter ainda muito p'ra dar

Sem desvios, com todo o esplendor.

Vou deixar entrar o cheiro do lilaseiro

Pôr sapato alto, baton e porque não saiote?!

Quero sentir que ainda é verdadeiro

Quero orquestrar, quero ser eu a dar o mote.

 

Hoje, tempo ao tempo vou dar

Tempo que será todo p'ra seduzir

Tempo que vou querer aproveitar

Que me pertence, e do qual não vou desistir.

Vou colocar no cabelo uma rosa

Quero até a solidão esquecer.Jamais!

Esta vontade de amar, é tão maravilhosa!

Que por hoje esqueço as lágrimas e os ais.

 

 

 

 

sinto-me: Feliz, felicidade hoje dobra
publicado por rosafogo às 23:33

Amiga Just

Eu te agradeço as palavras gentis de apreço ao poema.
Obrigado também pelos parabéns, também estou expectante em relação à saída da Colectânea, ansiosa por saber quem são os outros companheiros nesta aventura, ao mesmo tempo receosa que os meus poemas destoem no meio.

Um beijinho e a retribuição da flor que porás onde te aprouver, pois imagino-te uma rapariga linda e tu sim mereces
ter um flor.

natalia
rosafogo a 20 de Julho de 2009 às 10:20


mais sobre mim
Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

2
3
4

6
7
10
11

12
13
14
15
16
17
18

20
21
23
24
25

27
29
30


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro