Quarta-feira, 22 de Julho, 2009

Como a minha máquina, não tem muito alcance, eu gosto mais de fotografar pormenores,

e nestes passeios em grupo, é díficil parar muito tempo para se fotografar como deve ser, daí para podermos aproveitar, são tiradas um pouco à pressa e esta é inimiga da qualidade.

Melhor ou pior a mim não me escapa nada, já o meu marido se não lhe dão o tempo, prefere não tirar, as dele estão muito melhor que as minhas, mas estou na aldeia e só trouxe o meu computador, então fiz este slide com algumas onde se vê um pouco as praças e os monumentos das cidades visitadas, começando por Budapeste, Bradislava, Viena e por

fim Praga.Estas dão talvez para ver mais o estilo de arquitectura que é comum a todas as cidades.

Ainda não tive tempo para lhes pôr o nome, mas brevemente porei um slide  de melhor qualidade e legendado.

 

Anoitece em Budapeste

 

É noite, noite mágica em Budapeste

Nas margens do Danúbio me sinto sábia, ou vidente

Tomo no rosto a aragem que vem de leste

Na Vida nada se repete, a gente vê e sente

A lua  se ergue redonda ,prateada e nas águas espelhada

E eu duma alegria infantil tomada,

Respiro a magia e no meu pensamento

Arrebatadores sonhos de encantamento.

Mas  nem assim é possível quebrar a solidão!?

Olho agora a cidade iluminada, brilhando

Hoje, não escreverei nem mais uma linha, deixo o coração,

Aqui na colina de S. Geraldo, onde ele se vai aquietando.

 

Cidade agora iluminada com o contributo do meu olhar

Fico boquiaberta perante  tantas belezas

Imersa em meus pensamentos numa ânsia que não posso negar

Quero tudo ver, com a benção de Deus que me dá certezas.

Não vou esquecer nunca ! Como queria que o tempo parasse.

Aqui, me sinto de bem com a Vida, do mal afastada

Há musicalidade em tudo é como se todo o Mundo se amasse

Na tranquilidade e paz desta noite já avançada.

 

Num momento transcendente esqueço que estou presente

Sonhando ser grande, apesar da minha pequenez

Sentindo, como só o poeta sente

Esta beleza que o tempo inbatíbel, não desfez.

Neste Mundo onde me sinto quase nada

Hoje sou uma estrela, só mais uma estrela cadente,

Neste céu de estrelas de brilho incandescente.

Nesta cidade de beleza rara, ao rio abraçada.

 

Estranha melodia, se atravessa, à minha partida

Cidade luz, que fará parte da viagem da minha vida.

 

Poema feito em Praga, dia 16/7/2009

 

publicado por rosafogo às 19:12

Olá amiga Natália. Quem ler este post. Não precisa de te perguntar se gostaste da voltinha, a resposta está nas entrelinhas. Todo ele transpira a tua alegria e felicidade. E eu fico feliz por ti. Parabéns. Estou ansioso por ver o slid cheio de fotos. Um beijo Eduardo.
Fisga a 23 de Julho de 2009 às 15:37

Ainda não tinha tido tempo para responder, embora já tivesse lido oteu comentário, sabes amigo Eduardo isto de ter netos é uma trabalheira, vieram comigo estes dias para a aldeia e aqui passam a Vida esfomeados.
Então e tu estás bem? Sempre nos encontramos no sábado?
Aguardemos então, fica bem
Um beijinho
natalia
rosafogo a 24 de Julho de 2009 às 14:10

Olá amiga Natália. Sobre o nosso encontro até à hora em que estou a responder ao teu comentário tudo aponta para que seja uma realidade, o que começou por ser uma possibilidade, vamos ver se não surge nada, mas a esta hora espero bem que não. São 16 horas já não deve haver alteração de planos. Um beijinho até amanhã o mais tardar. Eduardo.
Fisga a 24 de Julho de 2009 às 16:17

Querido amigo

Espero que tudo te corra de modo a nos encontrarmos.
Obrigada, por me teres vindo trazer essas notícias, fico contente que possas ir.

Um abraço
natália
rosafogo a 25 de Julho de 2009 às 01:50

Olá amiga Natália. Espero que ainda estejas a descansar, porque a um dia de Sábado, Ainda é muito cedo para estar de pé. Mas como podes constatar pelas horas eu já estou de sentinela. Vou dar-te uma má notícia. O nosso encontro Marcado e selado ainda ontem, já está no cesto dos papéis. Hoje ás 7,05 horas, tocaram-me à campainha era a fazerem-me a entrega das netas, Porque os pais vão trabalhar os dois Era a pedirem-me para elas cá Ficarem para amanhã. Porque o pai vai entrar de serviço às 8h da manhã, sai ás 16h e volta a entrar ás 00,00h e sai amanhã Domingo ás 8,h da manhã. Ele trabalha nos Correios centrais em Lisboa. E a mãe das meninas, entra às 10h no centro comercial Colombo, sai ás 14h e volta a entrar ás 18h. até ás 22h. É época de férias e falta muito pessoal, dá estes horários malucos e os avós também acabam levando por tabela, Estou furibundo, com isto tudo, embora não esteja a tornar culpas a ninguém e muito menos ás meninas. Olha minha querida amiga, Eu assim perante a situação em presença não posso ir a um sítio onde teria a oportunidade única, não de te conhecer pessoalmente, o que seria um grande prazer para mim, mas também onde poderia certamente conhecer mais amigos e amigas. Eu depois em tempo oportuno tentarei contactar a organização no sentido de adquirir um livro. Não será autografado como eu gostava, mas paciência. Amiga Natália, depois de leres se quiseres podes destruir este comentário, que não o é. Mas eu não tinha outro meio de te contactar, desculpa. E bebe lá um cafezinho com as outras amigas que lá estiverem e pensem em mim, enquanto bebem. Um beijo e desculpa. Desejo que tudo te corra como tu tens planeado. Eduardo.
Fisga a 25 de Julho de 2009 às 07:59

Eduardo, que pena tenho que não possas ir, mas eu sei bem como é a vida, temos que estar sempre na rectaguarda, para os ajudar e se não formos nós, quem o fará?É assim amigo, não te preocupes que eu mando-te o livro, depois falamos sobre isso. Tenho pena por ti pois seria certamente agradável, passares um bocadinho na nossa companhia.
Pensa que haverá mais oportunidades, olha Eduardo eu também adorava que a minha filha mais nova fosse e também ela trabalha, e a mais velha vou passar pelo trabalho para ela poder ir comigo, por isso vês que não são só os teus e olha
felizmente que têm trabalho e que Deus lhe o conserve.

Fica bem, passeia as netas lindas e tudo bom para ti
um beijinho com muita amizade~
da amoga natalia
rosafogo a 25 de Julho de 2009 às 13:09

Olá Minha querida amiga Natália. Obrigado, estou muito feliz, a pesar de todos os males, por ter em ti uma amiga que compreende as agruras da vida, porque também tu depois de seres mãe és avó e compreendes. Obrigado mais uma vez. Espero que tenha tudo corrido muito bem e que se tenham divertido muito e conhecido muito gente. essa é a minha grande pena. pois, até a troca de mensagens, ganha outra dimensão, quando estamos a escrever para alguém que conhecemos, eu sei dar o valor a isso, porque conheço a Maria João Poeta e sei o que sinto , quando estou a escrever para ela, sentimos que está por detrás da tela alguém de quem podemos visionar, ainda que mentalmente a cara, e isso é muito gratificante. Quanto ao livro minha amiga, vou ficar-te muito grato para sempre, por te ofereceres para me o fazer chegar à minha mão e autografado e tudo. depois eu mando-te o meu endereço e tu mandas pelo correio a cobrar no domicilio. és um amor de pessoa. Beijinhos e tudo de bom para ti minha amiga. Eduardo
Fisga a 26 de Julho de 2009 às 09:38

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

2
3
4

6
7
10
11

12
13
14
15
16
17
18

20
21
23
24
25

27
29
30


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro

subscrever feeds