Quinta-feira, 17 de Setembro, 2009

 

As fotos foram tiradas na minha viagem à Suiça, a ùltima tirei-a do cimo da montanha, ficando lá em baixo a Vila à beira dum maravilhoso lago. Foi uma viagem de sonho, pois

o familiar que fazia os seus cinquenta anos nos proporcionou este espectácculo de paisagem com a neve brilhando, espelhando-se no lago .Este local fica a 150 km de Milão.

Não me resta alternativa, estou na aldeia e só me restam estas fotos aqui prontas para

colocar.... a falta que me fazem os netos! Ainda não aprendi!?

 

Ansiedade

 

 

Chove nos píncaros na alma minha

Deixei a juventude! Não!?

Foi ela que me deixou!?

Faço das  tripas coração sigo  sózinha,

Restam-me migalhas, é tudo o que restou.

Caem em mim brancas neves

A estação é fria, recuso-me a entrar!

Noite escura de que me serves?!

És esperança morta, roubando meu  lugar.

 

Meu espírito se encontra na escuridão

Se esconde da hora que o espreita

É pássaro extenuado,acorrentado à respiração.

Força de  raio que  se solta, mas que a morte não aceita.

Já não sei se faz sentido

Se hei-de da Vida desertar

Meu coração me há traído?

Deixando minha alma a chorar?!

 

15h 24m - 17/09/2009

StA JUSTA

 

Mais um poema triste. numa tarde nostálgica. 

 

 

 

 

sinto-me: caída
publicado por rosafogo às 12:46

Olá Natália!
Belas Fotografias! Elas sim, a lembrar a realidade dum Inverno!
As suas palavras, como diz, tristes e melancólicas, talvez sugeridas pelo isolamento da aldeia e por este tempo a adivinhar o Outono… "chove a cântaros na minha alma " ...mas apesar disso, “A estação é fria, recuso-me a entrar!”.

Sabe? Também eu ao estar aqui senti a nostalgia do Outono. Foi a música, as fotos, as suas palavras, a imagem dessa casinha na aldeia, onde eu imagino que as tardes caem serenas e calmas e a noite se alonga numa paz bendita. Senti-me transportada numa melancolia doce! Obrigada.
Bom fim de semana e um beijinho

Maria de Jesus a 18 de Setembro de 2009 às 01:43

Olá Maria de Jesus

Agradeço a sua passagem, e as suas palavras.
Tal como imagina este lugar é extremamente calmo, calmo demais para a Vida que ainda existe em mim, mas
desta vez até cansei de bulir, pois havia por aqui muito que fazer na casa e no jardim. Como é possível um
bocadinho tão pequeno dar tanto trabalho. Mas agora dá gosto ver as flores que restam ainda sorrirem para mim.
Foram limpas, cuidadas e ainda tenho rosas, hortensias,malmequeres, bocas de lobo, buganvília, e pouco mais as
restantes já se finaram.

Só agora vim dar resposta aos amigos, fiz assim tal como tínhamos conversado, porque nem sempre dá jeito vir logo.

Ainda bem que no meio da melancolia da poesia se sentiu bem.

Bom fim de semana
beijinho
natalia
rosafogo a 19 de Setembro de 2009 às 15:34

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Setembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
9
10
11

13
14
15
16
18

20
21
22
23
24
25
26

27
28
30


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro

subscrever feeds