Quarta-feira, 23 de Dezembro, 2009

 

Encontro de Poetas do LusoPoemas em BRAGA

 

 Esta é a minha amiga Poetiza e declamadora

Vóny Ferreira

O lançamento do Livro

deu-se no Mosteiro de

Tibães, o qual os poetas

visitaram depois dum almoço passado em sã camaradagem  e alegria.

 

 

Esta é a Editora da ANTOLOGIA- Trago-te um sonho nas mãos, da qual fiz parte, e cujo resultado das vendas, reverteu a favor da Associação ASAS de Stº TIRSO,

que recebe crianças desfavorecidas.

 

Foi um convívio muito agradável com cerca de quarenta poetas do site LUSOPOEMAS

no dia 5 de Dezembro em Braga.

Aqui ficam algumas fotos que dado o mau tempo não ficaram muito boas, mas que

dão para recordar bons momentos. Dali parti no dia seguinte para Viseu, Guarda,

Castelo Branco, Constança, Barquinha, Torres Novas e Loures.

 

Aproveito a postagem de hoje para desejar aos meus amigos

 

um  BOM NATAL e um ANO NOVO FELIZ, fazem o favor de entrar

com o pé direito e que ele vos traga tudo o que desejam, é bom lembrarmo-nos que a Vida é feita de mil pequenos nadas e eles

nos bastam para sermos felizes.Nesta época é bom lembrar também os desfavorecidos e contribuir de alguma forma para

que também sintam um pouco o espírito natalício.

 

Deixo também um poema.

 

Mil pequenos nadas

 

Mil pequenos nadas

Cheiros e sensações

Me dando boas razões

Para minhas noites acordada.

Neste momento de solidão

Único, imenso.

Na serenidade e em escuridão

Fecho os olhos e penso.

 

Como são pequenos meus dias

Passando, sem qualquer resposta

Morrendo. Feitos de realidades frias.

E logo a noite se mostra.

Olho para trás, uma recordação vivo,

A cada passo mais uma revivo

Até que a memória fica despovoada

E tranquila, satisfeita

Deixo-me para além de mim, abandonada.

 

Na sucessão dos dias

Saram velhas feridas, dou mais um passo

Mais um palmo de terra, semeio alegrias

E vou mantendo com o passado um laço.

 

Restam sonhos e vontades!

Sinto ainda os traços que alguém me roubou

Chorarei até à última gota as saudades

Sucumbo ao cansaço, o tempo me enganou.

Vou a página virar!

Lembrarei o que houver a lembrar!?

Neste fim de tarde,

Já se vai do céu o azul profundo

Com pequenos nadas e em liberdade

Sigo alheia ao Mundo.

 

 

 

publicado por rosafogo às 16:35

Ai Martinha que vergonha eu tenho de não
te ter respondido ainda, sabes amiga colaboro no
LusoPoemas e como o tempo é escasso, alguma coisa
deixo atrasar.
Peço desculpa, és uma querida em teres voltado,
tudo bom, sinto como se te conhecesse de há longa data sabes.

beijinho, retribuo os votos de Bom Ano

natalia
rosafogo a 31 de Dezembro de 2009 às 00:59


mais sobre mim
Dezembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
24
25
26

27
28
29
30
31


últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro