Domingo, 01 de Março, 2009

 

 

 

Hoje senti o desejo de postar esta poesia de palavras bem claras, bem esclarecedoras

do que observei quando era miúda, numa aldeia onde só o Sol e as crianças eram risonhas.

Labutava-se de sol a sol, para levar a vida por diante, nunca se ouvia a palavra fartura a não ser de cansaço.Tenho exactamente na minha memória o que vou aqui descrever.

Hoje, então vou dedicar a todos que como eu foram criados, estas tão simples palavras.

 

Na eira

 

Vieram tardes quentes de Verão

Na eira, malhava-se o pão

Depois, lançado no ar

Vinha o vento joeirar!

Quando o Sol amansava

Ficáva o cansaço

E a gente descansava

baixando o braço.

 

Bem  tarde, á tardinha

Regava-se a horta

Ao chegar a noitinha

Sentava-se o corpo, na soleira da porta.

O cão ao lado fazendo companhia

E a gente suada, ali adormecia.

 

Deitavam-se os filhos

A mulher suspirava!

De tantos cadilhos

Que a Vida lhe dava.

 

E no desespero á taberna  se ía

E com mais um copo, na mulher batia

Pronto a começar... nas mãos cuspia

Disposto a aguentar por mais um dia.

 

Imolados por uma Vida  de insegurança

Viviam só de migalhas de esperança!

Chegando a noite  com Amor ausente

Da boca brotavam palavras, secamente.

 

 

 

sinto-me: nostálgica
publicado por rosafogo às 16:33

mais sobre mim
Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
16
17

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


posts recentes

Velhos Tempos

últ. comentários
Queria amiga Poetisa Rosafogo, Que das coisas simp...
Olá!Vim apenas fazer um teste, para ver se consegu...
Parabens pelo post. Falar de coisas simples por ve...
Acontece-me exactamente o mesmo, Natália! Depois d...
É assim Mªa João, dispersei-me e agora é tão difíc...
Também me perco imenso, Natália. Não penses que és...
Há séculos dizes bem MªJoão, bem que eu gostaria q...
Para mim também foi uma alegria encontrar-te Ause...
Obrigada PC é bom encontrar palavras amigas.Tento ...
Olá Martinha obrigada por vires ler, tenho andado ...
pesquisar
 

blogs SAPO


Universidade de Aveiro